Na Osusp, músicos protestam contra reitoria

Músicos da Sinfônica da Universidade de São Paulo (Osusp) distribuíram no final da semana passada uma carta aberta ao público e toda a classe musical na qual criticam os critérios de seleção do novo diretor artístico e regente titular da orquestra, posto ocupado até agosto pelo maestro Carlos Moreno, que estaria sendo feita à revelia dos quadros da orquestra."O funcionamento da Osusp, como as demais entidades e corpos públicos, é norteado por seu regimento interno, dentro dos critérios democráticos característicos da Universidade de São Paulo", escrevem os músicos. "Nele, consta como prerrogativa inequívoca da orquestra o direito de participar da redação do seu regimento e de todos os processos decisivos referentes à escolha do seu diretor artístico e regente titular."Segundo a carta, o regimento prevê que maestros que quisessem se candidatar ao posto deveriam enviar projetos de gestão a serem analisados pelos músicos. Em seguida, em reunião com a Pró-Reitoria de Cultura, seria definida uma lista tríplice da qual, enfim, sairia o nome do diretor artístico e regente. "No entanto, após três meses aguardando a convocação oficial da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária para a elaboração da listra tríplice, fomos informados pelo Pró-reitor em visita a um ensaio da orquestra, de que o regimento será modificado à nossa revelia. Segundo ele, o sistema democártico de escolha do nosso regente titular e diretor artístico será banido do regimento e um cargo de confiança para a direção geral (artística e administrativa) da Osusp será criado e preenchido através de indicação sumária do Pró-reitor."Procurada pelo Estado por meio de sua assessoria de imprensa, a Pró-Reitoria de Cultura da Universidade de São Paulo não respondeu às questões enviadas, que pediam confirmação ou negação das denúncias dos músicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.