Na fantástica terra dos dinossauros, uma surpresa atrás da outra

Sítios arqueológicos revelam pegadas de animais pré-históricos e desenhos em paredões de milhões de anos

O Estadao de S.Paulo

22 de maio de 2008 | 00h00

A turma dos 20 e tantos ou 30 e poucos anos vai querer achar pontos em comum com o Jurassic Park, de Steven Spielberg. Os mais velhos perceberão nos desenhos esquisitos de algumas rochas traços parecidos com os que viram na série O Elo Perdido. Mas basta andar pelos sítios arqueológicos e paleontológicos do Nordeste para notar que a realidade é páreo duro para a ficção. Só na Paraíba há mais de 20 localidades com pegadas de animais pré-históricos. Não à toa, o verdadeiro Parque dos Dinossauros, no Vale dos Dinossauros, fica no Estado.O parque, no município de Souza, registra pegadas de mais de 80 espécies de dinossauros. Outras 12 cidades fazem parte do vale, com uma área de 70 km². Visita obrigatória é a Bacia do Rio dos Peixes. Em seu leito está um dos mais longos rastros de dinossauros do mundo, com 50 metros e 51 pegadas. O autor das marcas seria um iguanodonte e teria vivido há 110 milhões de anos. O vale revela uma surpresa atrás da outra. Na cidade de Ingá está o maior monumento arqueológico do País, a Pedra do Ingá, com 24 m de comprimento e 3,8 m de altura, cheia de inscrições rupestres.Outros pontos arqueológicos importantes são o Parque Nacional das Sete Cidades e a Serra da Capivara, no Piauí (veja nesta página)Vale dos Dinossauros: www.valedosdinossauros.com.brParque Nacional das Sete Cidades: www.piemtur.pi.gov.brSerra da Capivara: www.fumdham.org.br/parque.aspPinturas rupestres conservadasNão é à toa que a Serra da Capivara, no Piauí, foi considerada patrimônio histórico pela Unesco. A região conta com 406 sítios arqueológicos, 360 com inscrições rupestres. Curioso é notar que as paredes registram não só sinais pré-históricos, mas a evolução da linguagem do ser humano, partindo de desenhos pouco expressivos em uma única cor a pinturas mais elaboradas e com mensagens mais complexas. O parque possui mais de 30 sítios para visitação. Há três entradas permitidas: Pedra Furada, Desfiladeiro da Capivara e Serra Vermelha.Rochas de 400 milhões de anosO Parque Nacional das Sete Cidades, nos municípios de Piracuruca e Brasileira, no Piauí, deixa os fãs de O Elo Perdido com inveja. Andando por lá, você não vai se deparar com os cenários toscos da série antiga e, sim, com formações rochosas de 400 milhões de anos em formatos inusitados espalhados por sete "cidades de pedra" - daí o nome do parque. Um conjunto visto à distância - por quem tem boa vontade - forma o mapa do Brasil, por exemplo. Em várias formações, há pinturas dos homens das cavernas, que começaram a ser deixadas pela região há cerca de 6 mil anos, estima-se.Trilhas de pegadas gigantesVá com tempo e preparado para longas caminhadas pelas antigas trilhas dos assustadores dinossauros no município paraibano de Souza. O melhor período para os turistas é o de julho a dezembro. O Parque dos Dinossauros, encravado no município, oferece mapas, filmes, maquetes e uma biblioteca com várias publicações para quem quiser se aprofundar sobre o tema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Stan Lee: todas as 29 aparições nos filmes da Marvel
  • Projeta Brasil do Cinemark apresenta filmes brasileiros por apenas R$ 4
  • Glória Maria faz cirurgia para remover lesão cerebral e passa bem
  • MIS abre novo lote para exposição imersiva de Da Vinci 
  • Mônica San Galo lamenta morte de Jesus Sangalo: 'pode-se morrer de mágoa'

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.