Musical inspira-se em obra de Eça

O triângulo amoroso de O Primo Basílio é transposto para o Rio de Janeiro dos anos 1950, com trilha de bossa nova

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

05 de junho de 2009 | 00h00

Casada com Jorge, a romântica Luisa muda sua rotina quando o primo Basílio, sua antiga paixão, retorna ao Brasil. Escritor clássico, Eça de Queirós (1845-1900) utilizou o adultério como ponto de partida para criticar a mesquinhez da pequena burguesia no romance O Primo Basílio, escrito em 1878. Tal jogo de sentimentos encontra na bossa nova a trilha perfeita, que marca a versão musical da história, com estreia marcada para hoje, no Teatro Brigadeiro.O Primo Basílio - O Musical é uma adaptação de Francisca Braga, que transformou os saraus do século 19 presentes na obra de Eça em reuniões de jovens que vivem no Rio de Janeiro entre 1959 e 1961. Ali, conflitos marcados por hipocrisia e vaidade rondam o triângulo amoroso. "A trama se divide em dois atos distintos", comenta o diretor Dan Rosseto. "O primeiro, mais romântico, tem um tom suave, marcado por uma trilha do mesmo tom. No segundo, porém, o naturalismo de Eça é mais presente, quando os conflitos se intensificam."A ironia, a crítica à sociedade portuguesa e, especialmente, o anticlericalismo sempre foram associados à obra do escritor. Depois de iniciar a carreira literária como autor romântico, ele logo se deixou fascinar pela realidade e decidiu enfrentar o mundo: assuntos como a estupidez humana, a mesquinhez da pequena burguesia e a grosseria dos clérigos passaram a figurar em livros que se tornaram clássicos, como O Crime do Padre Amaro e o próprio O Primo Basílio.Ciente da importância do texto, Dan Rosseto manteve-se o mais fiel possível às palavras: ele buscou a perfeita integração entre os diálogos e as canções, a fim de promover uma transição discreta. Assim, adaptou algumas falas que permitissem o perfeito encaixe com músicas como Estrada do Sol, Insensatez (que ganhou uma versão em tango) e Samba de Uma Nota Só. "Ao contrário de outros musicais, em que um curto período separa cada canção, em O Primo Basílio há até 15 minutos entre algumas, com apenas diálogos", conta o encenador. "Com isso, alguns espectadores que já assistiram ficam na dúvida se realmente se trata de um musical." Para isso, Rosseto fez uma criteriosa seleção para definir um elenco com 11 atores capazes de sustentar tanto a dramaturgia como o repertório vocal, e ainda 5 músicos que se apresentam ao vivo. Assim, Luiz Araújo (Basílio), Ligia Paula Machado (Luisa) e Álvaro Franco (Jorge) ficaram com os papéis principais. ServiçoO Primo Basílio - O Musical. 165 min. 16 anos. Teatro Brigadeiro (676 lugs.). Av. Brig. Luís Antonio, 884, 3107-5774. 6.ª e sáb., 20h30; dom., 19 h. Até 6/9

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.