DANIEL LEAL-OLIVAS / AFP
DANIEL LEAL-OLIVAS / AFP

Museu de Londres vai reunir relatos de sonhos para documentar a pandemia

Em fevereiro de 2021, os participantes serão convidados a compartilhar seus sonhos em entrevista por videoconferência

Agências, AFP

26 de novembro de 2020 | 17h35

LONDRES - Compilar os sonhos dos londrinos relacionados ao coronavírus é o novo e curioso projeto do Museu de Londres, que enxerga nesses conteúdos testemunhos do impacto psicológico da pandemia.



"A covid-19 causou muitas mudanças na vida dos londrinos, não apenas em nosso dia a dia, mas também em nossa relação com o sono e os sonhos", afetados pela ansiedade e o estresse, destacou o Museu de Londres nesta quinta-feira, 26.

Trata-se de "coletar sonhos na forma de histórias orais (...) e explorar os esclarecimentos que os sonhos podem oferecer em termos de saúde mental e mecanismos para enfrentar o estresse externo, principalmente em tempos de crise", explicou o museu dedicado à história da capital britânica. Será "a primeira vez que sonhos serão coletados por um museu".

Denominado Guardiões do sono, fórmula inspirada no fundador da psicanálise Sigmund Freud, o projeto é realizado em colaboração com o Museu dos Sonhos da Universidade Ocidental de Ontário, no Canadá.

Faz parte de uma iniciativa do Museu de Londres, que busca reunir objetos e depoimentos relacionados à pandemia, assim como já fazem outras instituições pelo mundo.

Em fevereiro de 2021, os participantes serão convidados a compartilhar seus sonhos em entrevista por videoconferência realizada com uma equipe de profissionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.