Mudanças que trazem desequilíbrios e rebeliões

Cidade Rebelde volta ao Rio do início do século 20, período de rebeliões e protestos. A cidade vivia sob a expectativa da transformação, quando ganharia contornos urbanos e cosmopolitas. Mudanças trazem inquietações. E inevitáveis desequilíbrios, como o que se deu entre a necessidade de modernização e a precariedade das estruturas sociais. Isso sem falar das disputas políticas e da repressão policial. Nesse contexto, o "fermento da revolta" se avolumou. Autora de Os Pavilhões do Passeio Público: Theatro Casino e Casino Beira-Mar, Jane Santucci analisa a cidade e sua gente, falando da mistura de povos e do malabarismo da existência. Nessa pesquisa se delineia a identidade dos cariocas.Cidade RebeldeJane SantucciCasa da Palavra184 págs., R$ 43

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.