Romulo Fialdini/DIVULGAÇÃO
Romulo Fialdini/DIVULGAÇÃO

Mostra reúne desenhos antigos feitos por internos do Juquery

Masp exibe 102 obras criadas por pacientes do hospital psiquiátrico e doadas à instituição em 1974 pelo médico Osório César

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S. Paulo

13 de junho de 2015 | 04h00

O título da exposição remete a um dos livros mais conhecidos do filósofo francês Michel Foucault (1926-1984), História da Loucura, ataque à fronteira entre sanidade e loucura que atingiu a medicina psiquiátrica. No plural, Histórias da Loucura – Desenhos do Juquery, no Masp, é igualmente um petardo na mesma direção. Reunindo a coleção do médico psiquiatra paraibano Osório César (1895-1979), composta de obras criadas por internos do hospital do Juquery, a exposição traz 102 desenhos guardados há mais de 40 anos na reserva técnica do museu, 42 deles de Albino Braz, artista que se tornou conhecido ao figurar na histórica mostra Brasil 500 Anos, realizada há 15 anos em São Paulo.

O médico Osório César foi, como Nise da Silveira, pioneiro no uso da arte como recurso terapêutico, tendo seu livro A Arte Primitiva dos Alienados, de 1925, resenhado pelo próprio Freud, com quem trocou correspondência. César doou esses desenhos ao Masp em 1974, obras de 14 artistas que surpreendem pela liberdade expressiva, como Albino Braz.

Com curadoria de Adriano Pedrosa e Luiza Proença, a mostra traz um conjunto de desenhos feitos com materiais comuns. Não é a primeira vez que o Masp organiza uma mostra do gênero. Em 1948, o museu mostrou a arte dos internos do Juquery em exposição organizada pelo próprio Osório César.

SERVIÇO:

HISTÓRIAS DA LOUCURA – DESENHOS DO JUQUERY. Masp. Avenida Paulista, 1.578, tel. 3251-5644. 3ª a dom., 10 h/18 h. 5ª, 10 h/20 h. Até 6/9.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.