Morre o lendário guitarrista Les Paul

Inventor de instrumentos para astros como Jimmy Page, entre muitos outros, o músico notável e premiado tinha 94 anos

Lucas Nobile, O Estadao de S.Paulo

14 de agosto de 2009 | 00h00

O mundo da música perdeu nesta quinta-feira parte de sua amplificação e alguns decibéis, com a morte de Les Paul, o guitarrista virtuoso e inventor que revolucionou a história da música popular no século 20, com inovações nas guitarras elétricas. Segundo a empresa de guitarras Gibson, Paul morreu de complicações causadas por uma pneumonia, em White Plains, Nova York, aos 94 anos. Paul, cujo nome original era Lester William Polfus, nasceu no dia 9 de junho de 1915, em Waukesha. Ele estava acompanhado da família e de amigos.Além das lendárias guitarras, que passaram a atender pelo nome de seu criador, sendo chamadas de modelos Les Paul, o guitarrista também inovou ao popularizar as gravações multipista, que permitem que os músicos gravem instrumentos diferentes separadamente, podendo equalizar e combinar gravações distintas.Músico e criador desde a infância, ele experimentou com a amplificação de guitarras por anos antes de chegar ao que chamou em 1941 de The log (A tora), uma placa de madeira com cordas de violão de aço. "Todo mundo me chamou de doido." Les Paul, que também foi um músico notável, chegou a tocar guitarra com músicos de diversas vertentes e estilos, como Louis Armstrong e Bing Crosby. Na década de 1930, ele começou a fazer experimentos e testes com amplificações da guitarra. Nos anos 1940, o instrumento que ele criou acabou conquistando o mundo na década seguinte, com o surgimento efetivo do rock. Com o Les Paul Trio, fundado em 1936, ele chegou a fazer, na década de 1940, turnês com Andrews Sisters, Nat King Cole e Bing Crosby, com quem gravou o sucesso It?s Been a Long, Long Time, em 1945. O mesmo Crosby encorajou Les Paul a construir seu próprio estúdio de gravações em sua garagem, em Los Angeles. Com sua guitarra elétrica e os vocais de sua esposa Mary Ford, Les Paul passou a utilizar técnicas de gravação como o "overdub", com registros em diversos canais e novos efeitos eletrônicos, que seriam amplamente utilizados nos anos seguintes por vários artistas, como os Carpenters. "De repente, eu podia pegar Mary e fazer ela ter três, seis, nove, 12, quantas vozes quisesse", disse Paul. "As pessoas passaram a perceber que força também era uma parte importante da música, que devia ser levada em conta. Poder se expressar além dos limites normais de um instrumento sem amplificação era impensável. Hoje um menino não imaginaria cantar uma música em cima de um palco sem um microfone e sistema de som.''Também ao lado de sua esposa, entre 1949 e 1962, Les Paul ganhou 36 discos de ouro e teve 11 sucessos no primeiro lugar das paradas, como How High the Moon, Vaya Con Dios, Nola e Lover, que venderam milhões de cópias. O casal também chegou a estrelar o programa Les Paul and Mary Ford at Home, que era gravado direto da casa dos dois, e foi exibido até o ano de 1958.Seu último disco, American Made, World Played (Capitol), foi gravado para celebrar seu aniversário de 90 anos, em 2005. O álbum contou com participações especiais de Eric Clapton, Keith Richards, Jeff Beck, Sting, Joe Perry, do Aerosmith, e Billy Gibbons, do ZZ Top. O disco rendeu a Les Paul dois Grammys: o de melhor performance de pop instrumental e melhor performance de rock instrumental. ele também já havia conquistado um Grammy em reconhecimento a suas realizações técnicas.Nos últimos anos, ele disse que estava trabalhando em outra grande invenção, mas que não revelaria do que se tratava. "Honestamente, eu nunca quis ser um Edison", ele declarou em uma entrevista ao jornal The New York Times, em 1991. "A única razão de eu ter inventado essas coisas é que eu nunca as tive. Eu não tinha outra escolha", completou.Na década de 1950, a Gibson começou a produzir guitarras Les Paul. Jimmy Page, do Led Zeppelin, Pete Townsend, do The Who, Steve Howe, do Yes, e o jazzista Al DiMoela, encabeçavam uma lista infindável de artistas que utilizavam o modelo criado por Paul, que, com o passar dos anos se tornou uma das guitarras mais usadas no universo musical. Em 2005, a casa de leilões Christie?s vendeu uma Gibson Les Paul, de 1955, por US$ 45.600 (mais de R$ 85 mil). COM AGÊNCIAS E O NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.