Morre o diretor de Garganta Profunda

Gerard Damiano, diretor do clássico Garganta Profunda (1972), morreu no sábado, aos 80 anos, em conseqüência de um acidente vascular cerebral. Rodado em seis dias e com um orçamento de US$ 25 mil, Garganta Profunda simbolizou a liberação sexual americana nos anos 70. Com um enredo surreal, o filme se tornou cult quando suas cenas de sexo explícito foram vistas como um ataque à moral hipócrita. Nascido em Nova York, Damiano trabalhou como cabeleireiro antes de dirigir diversos filmes pornográficos. "Em termos de cinema, ele nunca acreditou que foi um grande filme", revelou o filho do cineasta, Gerard Jr.

Efe, O Estadao de S.Paulo

29 de outubro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.