Morre no Rio, aos 95 anos, o ator Oswaldo Louzada

Com mais de 60 anos de carreira, em 2003 emocionou o País no papel do avô maltratado da novela Mulheres Apaixonadas

Roberta Pennafort, O Estadao de S.Paulo

23 Fevereiro 2008 | 00h00

Um dos atores mais antigos em atividade no Brasil, com mais de 60 anos de carreira, Oswaldo Louzada, o Louzadinha, como era chamado carinhosamente pelos colegas, morreu ontem de madrugada, aos 95 anos, no Rio. Fumante, tinha câncer de pulmão e estava internado havia duas semanas no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Copa D''''Or. Segundo o hospital, a causa mortis foi falência múltipla dos órgãos. Ator de cinema, teatro e TV, ele fez muito noveleiro chorar, em 2003, com seu papel em Mulheres Apaixonadas. Na trama de Manoel Carlos, vivia Seu Leopoldo, um avô maltratado pela neta mimada, Dóris, interpretada por Regiane Alves. Durante as gravações da novela, em que fazia par com a atriz Carmem Silva, Louzada chegou a comemorar seu aniversário de 91 anos - a equipe organizou uma festa-surpresa no Projac. Sua última participação na Globo, na condição de convidado especial, foi no humorístico Sob Nova Direção, quatro anos atrás, quando contracenou com Ingrid Guimarães, Heloisa Perissé e Laura Cardoso. O enterro do corpo de Louzada estava marcado para o fim da tarde de ontem. Louzadinha nasceu no Rio, em 1912. Celebraria seus 96 anos em abril. Ele deu início à carreira em São Paulo, em 1944, dirigido por Vianinha - foi no rádio-teatro da Rádio Panamericana. Ainda em 44, foi escalado para o elenco de dois filmes da Atlântida, dirigidos por Moacyr Fenelon: Gente Honesta e É Proibido Sonhar. O ator chegou à telinha da TV na década de 70. Como coadjuvante, participou de várias novelas globais de sucesso, como Estúpido Cupido, Locomotivas, Final Feliz, Hipertensão,Cabocla (versão original) e Vamp. E também de minisséries de grande repercussão: O Tempo e o Vento, Desejo, O Quinto dos Infernos, O Primo Basílio e Engraçadinha. No cinema, sua aparição foi ainda mais constante: foram cerca de 20 filmes, entre eles o clássico O Assalto ao Trem Pagador, de Roberto Farias, Lampião, Rei do Cangaço, de Carlos Coimbra, Uma Garota em Maus Lençóis, de Wilson Cunha. Contracenou com atores como Grande Otelo, Henriqueta Brieba e Vanda Lacerda, e sobreviveu a todos eles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.