PATRICK HERTZOG / AFP
PATRICK HERTZOG / AFP

Morre cartunista e ilustrador francês Tomi Ungerer

Aritista ficou famoso em todo mundo com obras infantis, desenhos de temas eróticos, ou satíricos, e cartazes políticos.

Redação, AFP

09 de fevereiro de 2019 | 12h39

Estrasburgo, França, 9 Fev 2019 (AFP) - O cartunista e ilustrador francês Tomi Ungerer faleceu na madrugada deste sábado (9), aos 87 anos, na Irlanda, onde mora sua filha - informou seu ex-assessor Robert Walter.

"Ele faleceu à noite. Foi sua mulher que me ligou nesta manhã (de sábado)", disse Walter à AFP, amigo "há 35 anos" e seu antigo consultor.

"Era um gênio universal, um homem que tinha talento para tudo, amava a literatura. Dizia 'escrevo o que desenho e desenho o que escrevo'", lembrou.

Nascido na cidade francesa de Estrasburgo, o artista viveu nos Estados Unidos e no Canadá antes de se instalar na Irlanda nos anos 1970. Ficou famoso em todo mundo com obras infantis, desenhos de temas eróticos, ou satíricos, e cartazes políticos.

Engajado politicamente - contra a segregação racial, a Guerra do Vietnã, a corrida nuclear, a eleição de Donald Trump, entre outros -, trabalhou alternadamente em francês, inglês e alemão.

Ungerer doou mais de 11.000 desenhos originais, esculturas, brinquedos e livros para o museu dedicado a ele em Estrasburgo.

Sua obra consiste em entre 30.000 e 40.000 desenhos.

Em 2018, recebeu a insígnia de Comandante da Legião de Honra por sua contribuição para "a projeção da França por meio da cultura".

Anos antes, o artista - que se definia como um "pessimista feliz" - disse à AFP que, para ele, "se tivesse que haver um paraíso, seria uma biblioteca".

Mais conteúdo sobre:
Tomi Ungerer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.