Reprodução
Reprodução

Morre aos 91 anos a ilustradora Rita Rosenmayer

Artista ilustrou edições do Suplemento Literário do 'Estadão' e contribuiu para a memória visual da literatura no Brasil

André Cáceres, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2020 | 18h04

A ilustradora Rita Rosenmayer, uma das artistas que mais ilustrou obras para o Suplemento Literário do Estadão, morreu neste sábado, 29, de causas naturais, aos 91 anos. 

Filha de ucranianos e nascida no Rio de Janeiro em 1928, Rosenmayer atuou intensamente ilustrando para jornais e livros, principalmente dos anos 1950 aos anos 1990.   

No Estadão, ela colaborou com o Suplemento Feminino, mas sua principal contribuição foi para o Suplemento Literário, lendária publicação de literatura criada por Antonio Candido em 1956 e que circulou aos sábados até 1974.

Sua primeira contribuição com o jornal foi em 1958, e ela seria a mais frequente colaboradora a ilustrar as páginas do Suplemento nos anos seguintes. Mesmo após o fim do Suplemento Literário, Rosenmayer continuaria criando ilustrações para o jornal até 1984, quando ilustrou uma edição natalina de Cultura.

Em uma entrevista em 2004, a artista afirmou nunca ter feito uma ilustração explicativa a respeito dos livros analisados no jornal. "Se a poesia já está contando o caso, não preciso explicar de novo", afirmou Rosenmayer.

De acordo com Arnoldo Seincman, filho de Rosenmayer, entre seus livros favoritos estavam os clássicos da literatura russa que os pais dela trouxeram da Ucrânia; a autora ucraniana-brasileira Clarice Lispector; e diversos livros franceses.

Além de seu traço fino e elegante, como o de Hergé, Sempé e outros grandes ilustradores, Rosenmayer também atuou como pintora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.