MIS e Rafael Coutinho promovem feira para dar atenção ao quadrinho marginal

Artista, filho de Larte Coutinho, comanda a ‘Des.Gráfica’, feira que tomará o espaço durante o fim de semana de novembro

Pedro Antunes, O Estado de S. Paulo

31 de agosto de 2016 | 10h26

“O quadrinho sempre foi como aquele primo estranho nas festas.” Rafael Coutinho, artista e quadrinista, brinca com a importância dada aos quadrinhos nas feiras culturais. O filho de Laerte, contudo, assume a função de curador da Des.Gráfica, uma feira inédita que será hospedada no MIS (Museu da Imagem e do Som) no fim de semana, de 14 e 15 e novembro. Ali o “primo distante” é a atração principal da festa. 

Procurado pelo MIS e em uma parceria com as editoras Antílope e UgraPress, Coutinho passou a elaborar os planos para a área que será aberta no MIS e reunirá um total de 100 mesas no espaço localizado no bairro Jardim Europa, em São Paulo. “Buscamos uma postura frente à construção narrativa que pressupõe o cruzamento entre linguagens, apropriações e distorções daquilo que a gente entende por quadrinho”, ele explicou com exclusividade ao Estado, sobre a ideia de dar destaque ao que há de mais desconstruído na linguagem das HQs.

O Des.Gráfica promove, a partir desta sexta-feira, 2, uma convocatória que visa selecionar, por um júri especializado formado por cinco nomes, cinco trabalhos a serem impressos pelo MIS, sob supervisão d da editora Antílope, entregues aos autores e lançados na feira. As inscrições se encerram no dia 30 de setembro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.