Milionários na justiça contra peça

Um grupo de milionários de Hamburgo, na Alemanha, evitou na justiça que seus nomes fossem lidos em controvertida montagem da peça Perseguição e Assassinato de Jean-Paul Marat, de Peter Weiss, na qual um coro de desempregados recita uma lista com os cidadãos mais ricos da cidade. Protagonizado por seis atores profissionais e um coro de amadores, o drama político foi rebatizado por Marat, Que Foi Feito de Nossa Revolução?, uma versão do dramaturgo Volker Lösch. A revista Manager Magazin Spezial 2008 publica periodicamente uma lista com os 300 alemães mais ricos, o que inspirou o diretor.

Efe, O Estadao de S.Paulo

29 de outubro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.