Andrew White/The New York Times
Andrew White/The New York Times

Met de NY vai cobrar ingresso de US$ 25 de turistas

Metropolitan Museum of Art adotava política de 'pague quanto quiser' desde 1970; quem não morar no estado de Nova York terá que pagar a entrada a partir de março

AFP

05 Janeiro 2018 | 09h24

NOVA YORK - A era da entrada "quase grátis" no famoso Metropolitan Museum of Art de Nova York, conhecido como Met, chegou ao fim. A partir de 1.º de março, os turistas pagarão uma entrada no valor de US$ 25, ao invés de uma tarifa à vontade.

Desde 1970, o museu mais prestigiado dos Estados Unidos oferece aos seus visitantes um preço sugerido de US$ 25 por adulto, uma política "incomum" para um museu de renome internacional, destacou seu presidente, Daniel Weiss.

+ O limite do mercado da arte depois da marca de Leonardo de Da Vinci

A partir de 1º de março, os US$ 25 serão obrigatórios para os adultos que não forem moradores do estado de Nova York, ou seja, essencialmente para os turistas, para os quais o Met faz parte de uma etapa obrigatória de sua visita à "Big Apple".

Para não penalizar os estudantes de Nova York e de sua região, eles continuarão pagando o que desejarem. Turistas estudantes e da terceira idade permanecerão pagando tarifas reduzidas, 12 e 17 dólares, respectivamente. Os menores de 12 anos não pagam a entrada.

Esta mudança de política ocorre após meses de consultas com a Prefeitura de Nova York, que aceitou a modificação sem temer um impacto negativo para o turismo, vital para esta cidade que recebeu 61,8 milhões de visitantes em 2017.

+ Os melhores memes do baile do MET 2017

O aumento será acompanhado por uma extensão da validade dos bilhetes para três dias consecutivos, o que estimularia os turistas a percorrer os dois anexos: o vizinho Met Breuer, de arte moderna e contemporânea; e os "Cloisters", de arte medieval, no extremo norte de Manhattan.

"Há 12 anos constatamos uma diminuição significativa da eficácia de nossa política" de preços sugeridos, explicou Weiss.

Embora 63% dos visitantes desembolsassem US$ 25 em 2004, somente 17% dos visitantes aceitaram pagar essa quantia em 2017, indicou Weiss, que chegou ao Met em 2015 para melhorar as finanças do museu, com um orçamento anual de  US$ 305 milhões.

E apesar das visitas ao Met terem aumentado nos últimos anos, a renda permaneceu no mesmo nível, detalhou.

Os ingressos são fonte de financiamento minoritário para o Met: representam hoje 14% da renda, e mesmo com a próxima alta não superaria os 17%, segundo Weiss.

Diferentemente do Museu do Louvre de Paris, cujo ingresso custa 15 euros por adulto, o Met recebe poucos subsídios públicos e a maior parte de sua renda provém de doações que cobrem cerca da metade de seu orçamento anual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.