Melhores de 2008: festa com humor

Associação Paulista de Críticos de Artes faz no Teatro Sérgio Cardoso a cerimônia de entrega dos troféus em dez categorias

Camila Molina, O Estadao de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 00h00

Aprendendo a pronunciar nomes de artistas. Foi essa a brincadeira que os integrantes do programa CQC, da rede Bandeirantes, Danilo Gentili e Oscar Filho, levaram adiante na entrega do Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes) para os melhores de 2008, realizada anteontem à noite no Teatro Sérgio Cardoso. Eles foram os mestres de cerimônia da tradicional premiação, que reverencia 10 categorias. Os dois brincaram com os nomes dos premiados e até dos jurados que subiam ao palco para entregar os troféus (desenhados pelo escultor Francisco Brennand). O ator Guilherme Weber, ao receber o prêmio por sua atuação na série Queridos Amigos, da rede Globo, sugeriu aos apresentadores que, agora que teriam aprendido tantos nomes novos, acompanhassem também seus trabalhos. Mas tudo era apenas parte da descontração, tanto para o público quanto para o pessoal do próprio CQC, que também saiu da cerimônia premiado como melhor humorístico de televisão.Noite de festa longa, com cerca de três horas de cerimônia porque "a APCA é generosa", como disse Weber, a premiação contempla em cada categoria artística (artes visuais, cinema, dança, literatura, música erudita, música popular, rádio, teatro infantil, teatro e televisão) sete distinções. Houve ainda performances de dança de Leandro Berton (escolhido intérprete revelação) e de artistas da Associação Desaba (contemplada em pesquisa), apresentação do Choro das 3 (das irmãs que venceram na categoria grupo de MPB) e as presenças de famosos, premiados, como a atriz Patrícia Pillar (por seu papel na novela A Favorita); Marco Nanini (por atuação na peça O Bem Amado) e da cantora Wanderléa (pelo disco Nova Estação).A diretora Daniela Thomas, ao receber o troféu pelo filme Linha de Passe, leu um bilhete do diretor Walter Salles, seu parceiro na obra: "O prêmio APCA é o mais representativo do cinema, já que é uma premiação feita por críticos envolvidos com a arte." Essa foi a mesma tônica dos agradecimentos de Andrea Tonacci, diretor do filme Serras da Desordem, também escolhido melhor de 2008. "Me surpreende um prêmio para um filme que não faz parte da lógica de mercado."Como Danilo Gentili e Oscar Filho do CQC brincaram logo de início que os vencedores deveriam ser breves em seus agradecimentos, apenas o da atriz Denise Fraga, duplamente premiada, por sua atuação em A Alma Boa de Setsuan e pela produção da peça, escolhida melhor espetáculo de 2008, fez um discurso mais demorado - e emocionado (era "um pacote" pelas duas premiações, brincou). "Estou em estado de graça", disse a atriz, que chamou seus parceiros da peça para também subirem ao palco. "Sempre acreditei que o humor é transgressor e que o popular não precisa ser rasteiro", afirmou Denise. A tradicional categoria de teatro (a primeira e fundadora do Prêmio APCA, em 1956) também fez sua homenagem a José Renato por sua carreira teatral, aplaudido ao receber o Grande Prêmio da Crítica. "É muita felicidade ganhar o prêmio no palco que eu inaugurei", afirmou o diretor, que dedicou sua distinção ao ator Francarlos Reis e ao ator e dramaturgo Reinaldo Maia, ambos mortos recentemente.Outra homenagem da noite foi feita ao escultor Frans Krajcberg, polonês naturalizado brasileiro que realizou exposição na Oca. Aos 88 anos - e no Brasil desde 1948 -, ele apenas disse: "Enfim, São Paulo" fazendo referência ao fato de essa exposição ter sido sua primeira grande mostra feita na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.