Maratona do samba

Quem vê Sabrina Sato sambar durante uma hora no desfile da escola Gaviões da Fiel, em São Paulo, e depois encarar a apresentação da Salgueiro, no Rio, pode até pensar que o mundo é dividido entre os que nasceram com samba no pé, como ela, e os que não levam muito jeito para a dança, como você. Engano. A musa nipônica precisa malhar pesado para aguentar a maratona nas passarelas. "Ir aos ensaios das duas escolas semanalmente já é uma grande preparação, pois fico horas sambando e cantando. Mas também faço aula de boxe, musculação e alongamento, ao menos duas vezes por semana, para me manter bem na avenida." Ela, que acaba de voltar de férias, vai passar por um mês de treino intensivo, que incluem aulas de samba com o coreógrafo da Salgueiro, Carlinhos Borges. "Não é mole sambar e cantar ao longo da avenida. Precisa de um bom preparo", diz Sabrina. E, claro, a ajuda de uma drenagem linfática caprichada, para que gordurinha nenhuma deponha contra ela na passarela.

, O Estadao de S.Paulo

29 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.