Divulgação
Divulgação

Livro revê os 50 anos de fotojornalismo do baiano Evandro Teixeira

São 160 imagens divididas em conjuntos de sua atividade fotográfica

Simonetta Persichetti, ESPECIAL PARA O ESTADO

11 de dezembro de 2015 | 04h00

É uma viagem no tempo. Uma travessia pelo mundo e por mais de 50 anos de sua história. Imagens que surgem à nossa frente como pequenos contos. Fotografias pulsantes, ingênuas, ácidas, políticas, críticas e até divertidas. São os múltiplos olhares de Evandro Teixeira, um dos mais conhecidos fotojornalistas brasileiros. Nascido em Irajuba, o baiano mais carioca que existe que, com sua fala, carisma e, por que não, audácia, desde o final dos anos 1950 anda por aí registrando o que vê. 

O resultado é o livro Evandro Teixeira: Retratos do Tempo - 50 Anos de Fotojornalismo. São 160 imagens divididas em conjuntos de sua atividade fotográfica e, como explica Ana Cecília Impellizieri de S. Martins, editora do livro: “Comportamento e Rio de Janeiro, ditaduras, política, futebol, religião, carnaval, o sertão. Além disso, buscamos unir aos registros factuais, a linha mais ligada ao ensaio, presente, sobretudo, nas séries feitas em Canudos e nos sertões brasileiros”. A pesquisa foi realizada pelo próprio autor, por sua filha Adriana, pelo também fotógrafo Rogério Reis e pela editora Ana Cecília e demorou quase um ano para ser concluída. 

“É um livro que me deixou muito feliz pelo resultado e pela escolha das imagens e por me permitir rever todos aqueles registros”, conta por telefone. “Mas foi também penoso deixar de fora alguns deles.” É compreensível, porque o livro vai muito além de narrar períodos históricos, e, antes de mais nada, põe em foco o próprio Evandro Teixeira. 

Contador de histórias, ele teve a capacidade e a percepção do jornalista de estar sempre no lugar certo no momento certo. Iniciou a trabalhar no Diário da Noite, no Rio, para em seguida transferir-se para o Jornal do Brasil, em que ficou até o fechamento da edição impressa em 2010. Mas não deixou nunca de fotografar. Ele esteve e está presente em todos os momentos importantes da trajetória nacional. Cobriu a época da bossa nova, o movimentos dos estudantes do fim dos nos 1970. Esteve no Chile, onde fotografou o golpe contra Salvador Allende e o funeral de Pablo Neruda, cobriu Copas, Olimpíadas, acompanhou vários presidentes, atores e personagens da nossa história. Como lembra, no delicioso texto de abertura, o jornalista Ruy Castro: “Aos 80 anos, Evandro Teixeira continua um menino arretado!”.

O lançamento do seu livro, aqui em São Paulo, vai ocorrer neste sábado, dia 12, durante a 3.ª edição da Foto Feira Cavalete #3, no espaço Ophicina, no bairro de Pinheiros. Dedicada a divulgar o trabalho de fotógrafos independentes, editoras e galerias, e apresentar a fotografia em múltiplos suportes, como camisetas e bolsas, nesta edição, os organizadores da feira, Monica Maia e Fernando Costa Netto, da Doc Galeria, resolveram também programar o evento Livro Assinado. Assim, além de Evandro Teixeira (18h), também estarão presentes e lançando seus livros Cristiano Mascaro (17h), Julio Bittencourt (15h), Cassio Vasconcelos (16h), Lucas Lenci (16h), Mauricio Nahas (15h), Roberto Linskier (17h) e Rogério Reis 18H).

A Foto Feira Cavalete #3 foi criada e pensada para, além de mostrar e divulgar a produção de fotógrafos contemporâneos, aproximar os autores de seu público, e ainda reforçar o crescente mercado para colecionadores de fotografia. Nesta edição, estarão presentes 34 expositores e mais de 100 autores.

FOTO FEIRA CAVALETE #3

Espaço Ophicina. Rua Teodoro Sampaio, 1.109, Pinheiros, telefone 3813-8466. Sáb., 12h/22h. Grátis. Lançamento do livro de Evandro Teixeira, às 18h.

Tudo o que sabemos sobre:
fotografiaEvandro Teixeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.