Livro analisa cinematografias mundo afora

Obra que será lançada hoje concilia análise de mercado com conteúdos críticos

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2008 | 00h00

Todo ano, a revista francesa Cahiers du Cinéma utiliza o quadro do Festival de Cannes para lançar seu Atlas do Cinema Mundial, que mapeia a situação do cinema em todo o mundo. O Atlas privilegia os números, em vez da análise crítica. O livro Cinema Mundial Contemporâneo, da Papirus Editora, que será lançado hoje, tenta conciliar a análise de mercado com conteúdos críticos sobre a situação das diferentes cinematografias pelo mundo afora. É como se os organizadores Mauro Baptista e Fernando Mascarello somassem o Atlas ao velho (mas ainda clássico) As Cinematografias Nacionais Contra Hollywood, outra antologia de ensaios - organizada por Guy Hennebelle -, lançada no Brasil pela Paz e Terra (na fase antiga).Na introdução, Mascarello, editor da revista gaúcha Teorema, reinventa o conceito de cinema nacional. O mundo mudou muito em função do redesenho geopolítico (e do triunfo da globalização). Hollywood domina, mais do que nunca, os mercados, e o inglês virou ?o esperanto da atualidade?, como diz a jornalista Maria do Rosário Caetano. Estão em pauta questões como as novas tecnologias e as parcerias que os cinemas nacionais buscam para enfrentar o gigante norte-americano.Pode-se discordar de análises pontuais - em relação ao cinema inglês, por exemplo, ou ao de Taiwan, na qual Ang Lee vira um cineasta ?convencional?. O texto sobre o cinema italiano não expõe o espetacular ressurgimento com Paolo Sorrentino, Daniele Luchetti e Matteo Garrone. A análise dos números é mais interessante do que a crítica, no caso francês. Luiz Zanin Oricchio, crítico do Estado, disseca o conservadorismo estético que domina a produção brasileira contemporânea. Alessandra Meleiro analisa o novo cinema iraniano e ela já é autora de uma série de livros que compõem um Atlas da produção mundial. De maneira geral, o volume é atraente, como fonte de pesquisa e informação, mas não foge muito ao já mapeado (cinema coreano, asiático em geral, etc.). Onde foi parar a Romênia? Como uma cinematografia até ontem inexistente hoje domina os festivais mundiais? O caso romeno daria outra atualidade, e outra relevância, ao livro. ServiçoCinema Mundial Contemporâneo. Livraria Cultura. Avenida Paulista, 2.073, tel. 3170-4033. Hoje, 19 h

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.