Jovem tenta romper com tradições e superstições

A Estátuta de SalAlbert MemmiTradução de Marcelo JacquesC. Brasileira, 384 págs., R$ 40Publicado em 1958, com prefácio de Albert Camus, A Estátua de Sal narra a trajetória de um jovem judeu pobre, nascido na Tunísia de colonização francesa, em busca de sua identidade. Ele enfrenta a dificuldade de encontrar um equilíbrio entre o Oriente e o Ocidente. Esse romance de Albert Memmi tem fortes traços autobiográficos ao contar a história de Alexandre Mordekhaï Benillouche, um indignado num país colonizado, com o desejo de romper tradições e superstições. O título é referência à esposa de Ló, que, na Bíblia, converteu-se em sal ao olhar para trás quando buscava uma nova vida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.