Jane Birkin, quando o talento não tem idade

Atriz e diretora analisa o filme Caixas, diz que a mulher tem de vivenciar todas as suas idades e anuncia que volta a São Paulo e Rio para fazer shows em janeiro

O Estadao de S.Paulo

04 Outubro 2007 | 00h00

Jane Birkin recebe o repórter para uma entrevista individual, na tenda do Festival do Rio 2007. Transgressora em vários momentos de sua carreira, esta mulher - atriz, cantora e diretora - tem um lado muito forte de mãezona. Faz frio no Rio, nesta segunda-feira à tarde. Jane está sentada, de casaco, à sombra. O repórter chega de camisa de manga curta. Ela lhe toca o braço - ''''Está gelado!'''' - e imediatamente propõe que a entrevista seja realizada ao sol. Jane Birkin torra ao sol para que o repórter se aqueça. É uma estrela, mas a historinha ajuda a revelar o tipo de pessoa que ela é. Jane está (esteve) no Rio exibindo seu longa Caixas. O filme conta a história de uma inglesa de 50 anos que se muda para uma casa de praia. Nesse grande espaço vazio, ao abrir as caixas da mudança, é todo um mundo que se abre - o das lembranças, que vão permitir a Anna, a protagonista, fazer as passes consigo mesma e seus fantasmas do passado. Jane começou a escrever Caixas há mais ou menos 15 anos. Ela se havia mudado e vivenciado um pouco a experiência de Anna, o que mexeu com ela. Sua mãe adorou o roteiro e a incentivou a levá-lo adiante. Jane nunca conseguiu financiamento. Sua mãe morreu. Até como uma homenagem a ela, Jane sentiu a necessidade visceral de retomar o projeto. ''''Senti que tinha de fazê-lo de qualquer jeito. Virou uma coisa muito importante para mim.'''' Ela conseguiu não apenas um produtor disposto a bancar o projeto, mas uma equipe que aderiu com paixão à idéia de fazer Caixas. Geraldine Caplin, Michel Piccoli e Natacha Regnier foram mais do que simplesmente atores. Foram cúmplices. ''''Geraldine me incentivou a interpretar o papel. Eu achava que seria desgastante, até mesmo impossível, conciliar direção e interpretação, mas ela me fez ver que havia muito de mim naquela mulher, mesmo que não seja eu.'''' Muitas atrizes queixam-se, e com razão, de que o cinema não favorece as mulheres maduras. Jane Birkin acha que isso é verdade em parte. ''''Existem bons papéis em todas as idades. A questão é assumir que você não é mais uma garotinha e arcar com esses novos papéis mais condizentes com seu físico.'''' Ela se lembra quando surgiu com Blow Up/Depois Daquele Beijo, de Michelangelo Antonioni, há 40 anos. ''''Tive a sorte de estrear com um grande diretor, mesmo numa pequena participação. Eu não era nada, apenas uma inglesinha andrógina, como muitas outras, mas Antonioni me escolheu e me colocou na estrada.'''' Desde então, ela trabalhou com outros grandes diretores (Agnès Varda, Jacques Rivette), mas durante muito tempo foi, como diz, ''''la poupée'''' (a boneca) de Serge Gainsbourg, o ator, cantor e compositor francês com quem se casou, constituiu família e provocou um escândalo com a canção Je t''''Aime, Moi non Plus, basicamente feita de sussurros de um casal na cama. Jane não lamenta nem um pouco ter sido a boneca de Sergue. ''''Eu o amava e gostava do papel.'''' Ela filosofa - ''''Serge foi um artista extraordinário e muito influente, mas nunca ganhou um disco de ouro, por exemplo. Muitas vezes, paga-se um preço por estar à frente.'''' Aos filhos - a filha Charlotte Gainsbourg gravou um disco que está sendo considerado um dos melhores do ano, pela crítica na França e nos EUA -, ela dá um ou dois conselhos, na verdade o mesmo. Pede que não tenham medo de ousar e que vivam todas as etapas de suas vidas. Com a beleza da juventude e as rugas da maturidade, Jane também revela: após o show que fez no encerramento da Mostra em 2004, ela voltará a São Paulo para duas apresentações em janeiro. Virá também ao Rio, mas isso ainda está sendo negociado. Jane adora bossa nova (gravou um disco). Acha Caetano um gênio. E promete - ''''Vou cantar Leãozinho de novo.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.