Irina Palm seria sórdido não fosse atuação de Marianne Faithfull

Marianne Faithfull é mais lembrada como cantora, especialmente por uma música transgressora, nos anos 1960. O mesmo espírito marca sua passagem pelo cinema, como comprova Irina Palm, filme dirigido por Sam Garbaski, que o Telecine Cult exibe às 18h15.Ela interpreta Maggie, uma avó de 50 anos que vive um momento delicado: seu neto doente só pode ser curado se viajar para a Austrália. Mas o dinheiro é curto e as alternativas (empréstimo bancário, venda de bens) já foram todas utilizadas sem sucesso. Sem que a família saiba, Maggie opta por uma solução inusitada: emprega-se em um cabaré, onde não vai dançar tampouco fazer strip-tease, mas masturbar clientes, que se escondem atrás de uma parede onde há apenas um buraco por onde acontece, digamos, a comunicação.Sua determinação, aliada à rara maciez das mãos, a transformam na grande sensação do lugar, provocando filas intermináveis. O dono da espelunca, atento à possibilidade de faturar muito e rapidamente, logo lhe arruma uma sala particular e um pseudônimo, Irina Palm. O filme seria sórdido não fosse a delicadeza da direção - e a honesta e bela interpretação de Marianne.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.