Sabah Arar/AFP
Sabah Arar/AFP

Iraquianos veem pela primeira vez obras de Pablo Picasso em Bagdá

Na galeria Hiwar, uma das últimas sobreviventes na capital iraquiana, os fãs da arte podem admirar 24 obras de Picasso

AFP

28 de novembro de 2017 | 14h54

Bagdá, no Iraque,  recebe pela primeira vez uma exposição dedicada ao artista espanhol Pablo Picasso, graças a um colecionador do país que acumulou durante anos litografias de diferentes artistas.

Na galeria Hiwar, uma das últimas sobreviventes na capital iraquiana, os fãs da arte podem admirar desde segunda-feira, 27, 24 obras de Picasso, assim como de Dalí, Miró e Chagall. "Esta exposição é uma sorte histórica, já que é a primeira vez que acontece no Iraque", afirma Qasem Sabti, proprietário da galeria. No total, 42 obras estão expostas.

"Pertencem a um iraquiano residente nos Emirados Árabes Unidos que queria criar um museu privado do Picasso em Bagdá ou em Karbala, sua cidade natal", acrescenta. O colecionador, que quer manter o anonimato, tem um total de mil obras de arte.

É pouco provável que se encontre comprador no Iraque devido ao preço, entre 15.000 e 25.000 dólares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.