Rossana Magri
Rossana Magri

Instituto Inhotim anuncia reabertura com entrada gratuita

Museu a céu aberto em Brumadinho (MG) estava fechado desde a tragédia na barragem do Córrego do Feijão em 25 de janeiro

Pedro Rocha, Especial para o Estado

06 de fevereiro de 2019 | 14h31

O Instituto Inhotim, localizado na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, anunciou que vai reabrir suas portas para o público no próximo sábado, dia 9 de fevereiro. O museu, um dos maiores a céu aberto do mundo, estava fechado desde o dia 25 de janeiro, quando houve uma evacuação preventiva após a tragédia na barragem da mineradora Vale no Córrego do Feijão. 

Em comunicado, o museu informa que estará aberto, neste sábado, das 9h30 às 17h30. Na reabertura, será feito um minuto de silêncio, em homenagem às vítimas da tragédia. 

Nenhum funcionário de Inhotim perdeu a vida, mas cerca de 40 procuram por familiares desaparecidos ou já tiveram o óbito dos parentes confirmados. De acordo com o Instituto Inhotim, dos seus aproximadamente 600 funcionários, 80% moram na região.

A partir desta quarta-feira, 6, os funcionários já retornam ao trabalho. O museu garante que está realizando programação voltada para acolhimento e bem-estar dessas pessoas, com meditação, ioga, exibição de filme e rodas de conversa.

Para o diretor executivo do Inhotim, Antonio Grassi, a reabertura do instituto é importante para a cidade de Brumadinho. "Precisamos pensar como reerguer esse lugar. Nesse sentido, entendemos que o Inhotim é um importante equipamento para fortalecer o turismo em Brumadinho como uma alternativa econômica", afirma, em comunicado. "Recebemos cerca de 350 mil visitantes de diversos lugares do Brasil e do mundo e contamos com essas pessoas para continuarmos movimentando a região com transporte, hospedagem e outras atividades. Será um recomeço para a cidade e também para o museu."

Ainda de acordo com Grassi, a iniciativa de reabrir com um dia gratuito também é pensada para a comunidade. "Estamos reabrindo no sábado com entrada gratuita para simbolizar que o Inhotim está de portas abertas para a comunidade nesse momento de dor. Acreditamos que a retomada das atividades do Inhotim será uma das principais forças para ajudar Brumadinho e a região a vencerem essa primeira etapa de luto", acredita. "A saída para tudo isso seguramente passa por aquilo que o Instituto tem como seu maior patrimônio: cultura, arte, turismo, meio ambiente e educação."

Com a tragédia em Brumadinho, todos os acessos para o Instituto Inhotim pela BR-040, passando pelo Retiro do Chalé, Casa Branca ou Piedade do Paraopeba, estão bloqueados. O trecho da BR-381, que é o mais acessado para chegar ao museu, no entanto, está liberado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.