Timothy A. Clary/AFP
Timothy A. Clary/AFP

Instalação de Shia LaBeouf contra Trump é suspensa por atos violentos

De acordo com a direção do Museum of the Moving Imagem, em Nova York, embora a obra tivesse um intuito construtivo, sua ideia se deteriorou significativamente depois que o ator foi detido no final de janeiro

EFE, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2017 | 08h58

O Museum of the Moving Image, em Nova York, anunciou nesta sexta-feira, 10, o fechamento de uma instalação artística feita pelo ator Shia LaBeouf contra o presidente de Estados Unidos, Donald Trump, depois do local se transformar em palco de frequentes episódios de violência.

"A instalação criava um risco sério e contínuo para a segurança pública, para o museu, para os visitantes, a equipe, moradores e comerciantes", afirmou em comunicado o Museum of the Moving Image, que fica no distrito do Queens.

De acordo com a direção do local, embora a exibição tivesse um intuito construtivo, sua ideia se deteriorou significativamente depois que LaBeouf foi detido no final de janeiro após se envolver em uma briga. Desde então, o museu sofreu dezenas de ameaças de violência e viu várias detenções, o que obrigou à Polícia a vigiar a instalação continuamente.

A instalação, chamada He will not divide us (Ele não vai nos dividir) foi aberta em 20 de janeiro, mesmo dia da posse de Trump, convidava o público a ficar de frente para uma câmera e falar o título da obra. A ideia do ator e seus colaboradores era que o vídeo fosse exibido ao vivo pela internet de forma ininterrupta durante os próximos quatro anos como símbolo de "resistência, oposição ou otimismo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.