Imigração ilegal é o tema do novo trabalho de Luiz Ruffato

Com a vida ameaçada por problemas (casamento infeliz provocado por uma gravidez indesejada), Serginho descobre em Lisboa o paraíso: se trabalhar bem, conseguirá fazer um belo pé de meia antes de voltar para sua cidade, em Minas Gerais. Em Estive em Lisboa e Lembrei de Você (Companhia das Letras, 88 páginas, R$ 29,50), o escritor Luiz Ruffato não apenas cumpriu com as regras da coleção Amores Expressos da qual o volume faz parte (ambientar a trama no local onde o escritor passou uma temporada) como oferece um belo trabalho de linguagem, especialmente no resultado da mistura entre a prosa interiorana de Serginho e as influências lusas.

, O Estadao de S.Paulo

15 de setembro de 2009 | 00h00

"O tema da imigração é o meu motivo de eleição", conta Ruffato, que lança o livro hoje à noite, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. "Está presente em todas as histórias do Inferno Provisório, seja a imigração dos italianos para o Brasil, seja a imigração dos cataguasenses para São Paulo ou Rio de Janeiro. Está presente ainda no Eles Eram Muitos Cavalos e também no De Mim Já Nem se Lembra."

Como já viveu em Portugal, Ruffato convenceu-se de que a história deveria unir o universo de Cataguases, sua cidade natal e ambiente presente em toda sua obra (permitindo até que personagens distintos quase se encontrem), e tratar da desterritorialização. E a forma utilizada é uma prosa elaborada, seca, envolvente, que lembra João Antônio. "Sem dúvida, com sua preocupação pelos humilhados e ofendidos, e em elevar, pela linguagem, o trabalhador à condição de herói (ou anti-herói) de suas histórias", comenta. "Neste livro, houve uma tentativa de dialogar também com a tradição do romance pícaro, particularmente com Dom Quixote. Eu sempre usei o humor em minhas histórias, mas só eu conseguia enxergar isso... Agora, explicitei o humor para explicitar o drama."

Serviço

Estive em Lisboa e Lembrei de Você. De Luiz Ruffato. Livraria Cultura. Av. Paulista, 2.073, 3170-4033. Hoje, às 19 h

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.