Imax3-D e a sensação de ser atirado para dentro do filme

Sala que inaugura com O Fundo do Mar já é ponto turístico

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

16 de janeiro de 2009 | 00h00

Tudo começou há oito anos, quando ainda nem existia o Unibanco Arteplex, que depois se multiplicou pelo Brasil. Adhemar Oliveira já possuía o Espaço Unibanco e foi por causa das atividades que desenvolvia em seu conjunto de salas de São Paulo, visando à formação de plateias - o Projeto Escola e o Clube dos Professores -, que ele foi procurado por Ron Steers, representantes da marca Imax no Brasil, para uma parceria. O projeto era caro, parecia impensável naquele tempo, mas há três anos, seduzido pelo canto de sereia de Steers, um canadense radicado há 20 anos no Rio, que fala um mau português, mas é 100% persuasivo, Adhemar resolveu arriscar e começou a nascer a primeira sala Imax do Brasil.Ela foi apresentada para convidados na terça-feira, teve uma abertura oficial ontem à noite e, a partir de hoje, estará aberta para o público. Durante três semanas, você poderá ver em Imax 3-D, o documentário O Fundo do Mar, em sete sessões diárias. Logo em seguida, será Batman - O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, na versão 2-D, mas em condições de som e imagens muito mais impressionantes do que a versão já lançada no País, no ano passado. Afinal, como Adhemar Oliveira e Ron Steers ressaltaram para a imprensa, em duas ou três dimensões, Imax é ?the ultimate experience? (a experiência final) do público no cinema. Você não assiste a um filme. É atirado dentro dele, participa da ação, cercado por som e imagem de todos os lados.Uma sala dessas exige tecnologia especial. A própria arquitetura é especial e o custo, nem se fala. A sala Imax do Bourbon Shopping custou R$ 6 milhões, o equivalente a seis das dez salas normais que completam o complexo exibidor no shopping da Pompeia. Adhemar é diretor de programação e foi o condutor do projeto, mas a empresa mantenedora é uma S.A. com vários sócios que viabilizaram o projeto, incluindo Leon Cakoff, da Mostra de Cinema.Fundo do Mar é um documentário sobre a biodiversidade marítima. Você nem imagina as criaturas que lá habitam. Existem tantos predadores - no mais perfeito equilíbrio -, que você vai terminar achando o tubarão de Steven Spielberg uma gracinha. O próprio equipamento de última geração já valeria um documentário específico. Você sabia que a película do filme é tão forte que poderia puxar um caminhão sem rebentar? Que a luz de uma das lâmpadas do projeto Imax 3-D é tão intensa que poderia ser vista da Terra, a olho nu, caso fosse instalada na Lua? Que a câmera Imax é um dos equipamentos com maior resolução de imagem do mundo? Que o sistema de projeção baseia-se no movimento do filme, no ?rooling loop?, que faz com que duas faixas corram simultaneamente pelo projetor a 24 quadros por segundo, sendo que, para ativar o efeito 3-D, as lentes gêmeas são alinhadas para sobrepor a imagem na tela? Tudo isso para que você veja melhor, ouça melhor. Claro, o ingresso custa mais caro - R$ 30 a inteira, R$ 15 a meia e às quintas-feiras o preço baixa para R$ 20 e R$ 10. Vai valer a pena. O Imax do Bourbon Shopping não é só mais uma sala em São Paulo. É o novo ponto turístico da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.