Boris Heger/AP
Boris Heger/AP

Herdeiros de Picasso lançam obra de arte digital para surfar onda 'criptográfica'

Peça de cerâmica é o primeiro trabalho a ser comercializado; familiares querem popularizar artista entre os mais jovens

Jamey Keaten, AP

27 de janeiro de 2022 | 11h29

Pablo, conheça Crypto.

Herdeiros de Pablo Picasso, o famoso artista espanhol do século 20, estão entrando no comércio do século 21 vendendo 1.010 cópias de arte digital de uma de suas obras de cerâmica que nunca antes foi vista publicamente – seguindo uma moda de ativos “criptográficos” que tomou de assalto o mundo artístico e financeiro.

Para uma entrevista exclusiva antes do lançamento formal desta semana, a neta de Picasso, Marina Picasso, e seu filho Florian Picasso abriram seu apartamento – que está repleto de obras de seu ilustre ancestral – em um bairro nobre de Genebra. Lá, eles ofereceram um vislumbre, ainda que tentador, da peça por trás do que estão cobrando como uma fusão sem precedentes de arte antiga e ativos digitais.

Eles estão procurando lucrar e aproveitar uma onda de interesse em tokens não fungíveis, ou NFTs, que renderam milhões para artistas muito menos conhecidos e foram criticados por alguns como esquemas de enriquecimento ambientalmente caros.

Um Picasso, dizem os promotores de sua família, marcaria a entrada de um Grão-Mestre no jogo.

No jargão da economia, um token fungível é um ativo que pode ser trocado na base de um por um. Pense em dólares ou bitcoins – cada um tem exatamente o mesmo valor e pode ser negociado livremente. Um objeto não fungível, por outro lado, tem seu próprio valor distinto, como uma casa velha ou um carro clássico.

Cruze essa noção com a tecnologia de criptomoeda conhecida como blockchain e você obterá NFTs. Eles são efetivamente certificados digitais de autenticidade que podem ser anexados à arte digital ou praticamente em qualquer outra coisa que venha em formato digital – arquivos de áudio, videoclipes, adesivos animados, até mesmo um artigo de notícias lido online.

“Estamos tentando construir uma ponte entre o mundo NFT e o mundo das belas artes”, disse Florian Picasso, bisneto do artista.

Os descendentes do artista estão sacando cartas do colete, para despertar interesse e proteger – por enquanto – uma relíquia de família. Eles estão mostrando apenas uma lasca da parte de baixo do trabalho ligado aos NFTs, uma peça de cerâmica do tamanho de uma grande saladeira. As partes expostas mostram formas como uma linha amarela grossa, uma mancha verde gotejante e um número “58” escovado na base.

Marina Picasso diz que a preciosa peça de cerâmica data de outubro de 1958, quando ela era criança. “É um trabalho que representa um rosto e é muito expressivo”, disse ela. “É alegre, feliz. Representa a vida... É um daqueles objetos que fizeram parte da nossa vida, das nossas vidas íntimas – a minha vida com os meus filhos.”

Cyril Noterman, gerente de longa data de Florian Picasso, e Kathryn Frazier, publicitária do projeto, disseram que a Sotheby's realizará um leilão em março que incluirá um NFT exclusivo, bem como a tigela de cerâmica real.

Mas Matthew Floris, porta-voz da Sotheby's, entrou em contato com a AP na quarta-feira, 26, e disse em um comunicado: "A Sotheby's esclareceu que não venderá uma NFT de uma obra de Pablo Picasso".

Noterman e Frazier disseram que uma primeira fase de venda online de mais de mil outros NFTs começa na sexta-feira através das plataformas Nifty Gateway e Origin Protocol.

Florian Picasso disse que concordaram começar com  a peça de cerâmica colorida porque era “divertida”.

Um Picasso NFT traz consigo um simbolismo quase memorável, algo como quando a coleção dos Beatles fosse finalmente colocada no iTunes. A família e seus gerentes dizem que o objetivo é criar uma comunidade mais jovem de fãs de Picasso.

“Tudo está evoluindo”, disse Florian Picasso, insistindo que o NFT homenageia o grande artista.“Acho que se encaixa no legado de Picasso porque estamos prestando homenagem a ele e à sua maneira de trabalhar, que sempre foi criativa.”

Quão pitorescos parecem aqueles dias de outrora quando Picasso, como diz a lenda, simplesmente rabiscava em um guardanapo como pagamento por uma refeição no restaurante – sua obra supostamente carregava um valor muito superior ao custo da comida e bebidas que ele havia desfrutado.

Parte da renda será doada – uma parte para uma instituição de caridade que visa ajudar a superar a escassez de enfermeiros e outra para uma organização não governamental que deseja ajudar a reduzir o carbono na atmosfera. Os NFTs também virão com músicas selecionadas por Florian Picasso, que é DJ e produtor musical, junto com o compositor John Legend e o rapper Nas.

Mesmo que a divulgação completa dessa faixa ainda não tenha sido lançada publicamente, Florian Picasso tocou um trecho para o repórter e depois o desligou. “Para ouvir mais, você precisa comprar o NFT”, brincou ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.