Herdeiros de Grosz brigam com o MoMA

Os herdeiros do pintor expressionista alemão George Grosz colocaram processo na corte federal em Nova York contra o Museum of Modern Art (MoMA), dizendo que a instituição se recusou a devolver duas pinturas e uma aquarela do artista deixadas por ele na Alemanha quando partiu em 1933. Retrato do Poeta Max Herrmann-Neisse (1927), Autoretrato com Modelo (1928) e a aquarela de 1920 foram deixadas por Grosz com o marchand Alfred Flechtheim, perseguido pelos nazistas. A família do artista acreditava que as obras estavam perdidas, mas elas foram adquiridas em diferentes ocasiões pelo MoMA entre 1946 e 1954.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.