Guantánamo, a aberração jurídica está em discussão

Programa produzido pelo canal National Geographic tem estreia mundial amanhã

, O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2009 | 00h00

Em 2006, Michael Winterbottom e Mike Whitecross receberam o Urso de Ouro de Berlim pelo filme O Caminho para Guantánamo. Baseados na história real de dois anglo-afegãos suspeitos de terrorismo e enviados para o inferno da base norte-americana encravada na ilha de Cuba, os diretores colocavam em discussão aquilo que ninguém pode negar - Guantánamo virou a maior aberração jurídica praticada em nome da guerra antiterror na era George W. Bush."Grande parte do que, na última década, nos definiu como nação está consolidado em Guantánamo. Se o National Geographic não tivesse nos enviado até lá para realizar este filme, ela não teria sido documentada. A história tem de ser preservada de alguma maneira e espero que este documentário ajude a fazê-lo", diz Jon Else, diretor de Missão: Guantánamo. O filme passa amanhã, em estreia mundial, no canal da TV paga, às 22 horas.Quando Winterbottom e Whitecross, ou Michael Moore, denunciavam casos de tortura, prisão ilegal e abuso de direitos humanos em Guantánamo, nunca faltaram defensores das práticas do ex-presidente para dizer que ele reagia às provocações da Jihad e que os nomes citados, afinal, eram de notórios provocadores, cujo enfoque seria, ou é, tendencioso. Jon Else fez agora um especial jornalístico de duas horas analisando, de forma isenta, o legado de Guantánamo e o destino de seus 200 prisioneiros. O presidente Barack Obama quer revogar essa mancha de ilegalidade. O horror jurídico não pode mais ser ignorado.ServiçoMissão: Guantánamo. Dire-ção de Jon Else. Canal Natio-nal Geographic. Amanhã, às 22 horas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.