Berna Reale
Berna Reale

Galerias aproveitam SP-Arte Foto para realizar mostras individuais

Artistas como Berna Reale e Jordi Burch ganham exposições próprias, paralelas ao evento principal

Pedro Rocha, Especial para o Estado

20 de agosto de 2018 | 06h00

No momento em que grandes galerias de arte do Brasil apresentam obras dos principais nomes da fotografia moderna e contemporânea, com a SP-Arte/Foto 2018, alguns dos artistas que estarão presentes na feira expõem também trabalhos em mostras individuais, espalhadas pela cidade. É o caso de Berna Reale, artista paraense, que ganha exposição pela galeria Nara Roesler. 

A galeria paulista vai expor a obra de Berna na 12ª edição da feira, mas quem quiser uma versão mais ampliada da do trabalho pode visitar a exposição Gula, que será aberta no sábado, 25, na Nara Roesler. São seis séries fotográficas e uma instalação, que falam sobre como a violência pode despertar um prazer não só em quem comete, mas também em quem compartilha informações. A ideia veio da sua própria experiência como perita criminal em Belém, dos relatos dramáticos das páginas policiais da cidade e também nas imagens de violência enviadas sem filtros nas redes sociais.

“Vi um estudo que fala sobre a gula, e que o ser humano é o único que sente prazer em ‘devorar’ o outro”, explica a artista sobre a mostra. “As pessoas sentem prazer de mostrar violência nas redes sociais. Nos jornais, quanto mais trágica a notícia, mais ela vende. No próprio sistema de segurança pública, percebo o prazer em prender ou humilhar.”

++ Fotografia vintage é destaque entre galerias da SP-Arte/Foto 2018

A artista, no entanto, nega que o trabalho seja uma crítica à violência policial. “Uso elementos para as pessoas refletirem sobre poder.” Segundo ela, ao longo de sua carreira como perita, presenciou algumas vezes parceiros vivenciado o prazer em atos até mesmo mais sutis, como usar a sirene do carro policial, mesmo fora de situação de emergência. “Eu os questionava sobre isso não ser necessário.”

Linguagem como tema

Já a Janaina Torres Galeria, também de São Paulo, vai levar para a SP-Arte/Foto uma prévia do que o público poderá ver em sua sede, com a exposição individual do português Jordi Burch. A mostra Furo, que já está em cartaz na galeria, traz 14 fotografias e um vídeo, que retratam a própria prática fotográfica. “Um escultor trabalha com a matéria até chegar na imagem, o que quero é destruir a imagem até chegar no material”, explica o artista.

Em suas fotos, um papel pode remeter ao céu do Rio de Janeiro. Em outra, aproveita-se um momento de luminosidade intensa. “O título Furo é para falar da falência da linguagem, no sentido de um furo na ideia”, esclarece a curadora, Marta Mestre. “São imagens que fazem um jogo de réplica do real, que aproveitem erros do processo químico da revelação ou que se aproveitem de uma luz a mais.”

Por isso, não só a questão da matéria, mas o tempo também é fundamental para o trabalho, como numa fotografia de uma lâmpada queimada. “O grande evento não está na imagem”, diz Jordi.

BERNA REALE: GULA

Nara Roesler. Av. Europa, 655. Tel. 2039-5454. Até 3/11.

JORDI BURCH: FURO

Janaina Torres. R. Joaquim Antunes, 177. Tel.3064-2507. Até 2/10.

Tudo o que sabemos sobre:
SP-Arte/Fotofotografia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.