Galeria paulista expõe 30 monotipias

Mira Schendel dedicou-se exaustivamente entre 1964 e 1966 a criar monotipias e depois não as retomou mais. Por essa técnica, a artista transferia para o papel de arroz sobre lâmina de vidro desenhos feitos a óleo, com instrumentos diversos, que poderiam ser vistos tanto na frente como no verso, dada a absorção da tinta. A Galeria Millan (R. Fradique Coutinho, 1.360, 3031-6007) mostra até 25 de abril 30 monotipias de Mira, uma parcela de sua produção mais conhecida do público.Na Millan, que representa o espólio da família da artista, as monotipias estão exibidas dependuradas por fios e dentro de chapas de acrílico. Suspensas, formam uma linha contínua que atravessa dois espaços da galeria. A seleção das obras apresenta as experiências da artista com linhas solitárias, palavras e frases, além de formas geométricas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.