Colnaghi Gallery/Handout/Reuters
Colnaghi Gallery/Handout/Reuters

Galeria espanhola que investiga possível Caravaggio ainda não tem conclusão

Tela atribuída a outro pintor e que seria leiloada por preço irrisório ainda é investigada

Emma Pinedo, Reuters

30 de abril de 2021 | 07h51

Os amantes da arte ansiosos para saber se uma pintura misteriosa descoberta na Espanha é obra do mestre italiano Caravaggio precisam esperar mais alguns meses, disse a galeria encarregada de determinar quem é o artista.

A pintura a óleo de um Cristo agonizante, atualmente atribuída a um colega desconhecido de José de Ribera, pintor espanhol do século 17, deveria ter ido a leilão em Madri no início deste mês com um preço de referência de US$ 1.815 ou R$ 9.692. Mas a Espanha proibiu a venda na última hora porque especialistas disseram que pode se tratar de uma obra de Michelangelo Merisi da Caravaggio, cujos trabalhos chegam a render milhões.

Jorge Coll, chefe da galeria Colnaghi, que os proprietários contrataram para examinar as alegações, restaurar a pintura e possivelmente vendê-la, descreveu sua qualidade "magnética" e lembrou como seu primeiro vislumbre deixou uma impressão que sentiu poucas vezes diante de uma obra de arte.

Determinar sua autoria vasculhando documentos históricos e convocando especialistas de fora exigirá tempo, disse ele à Reuters em uma das filiais da galeria em Madri. "O público esperou 400 anos para vê-la, podem esperar outro ano... Trata-se de fazer nosso trabalho corretamente", explicou ele, acrescentando que a pintura está segura em um local não revelado da capital espanhola.

Coll não quis especular sobre quanto poderia valer a obra caso se prove ser um Caravaggio, e disse que no momento os proprietários estão mais interessados na atribuição e na restauração do que em uma venda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.