Formigas gigantescas, numa ficção científica clássica

James Whitmore nunca foi um astro em Hollywood. Pelo contrário, ao longo de sua extraordinária carreira, foi (quase) sempre coadjuvante, raras vezes - em pequenas produções - carregando o papel principal. Isso não o impediu de trabalhar com os maiores diretores, em grandes filmes.Ele morreu este ano, mas em 1954, quando fez O Mundo em Perigo, ainda começava em Hollywood. Foi o primeiro de seus três filmes com Gordon Douglas e, se é uma obra-prima da ficção científica, a derradeira parceria dos dois, O Revólver de Um Desconhecido (Chuka), também é uma obra-prima do western.O Mundo em Perigo - Them!, Elas! - passa hoje às 22 horas no TCM. Formigas sofrem mutação no meio Oeste dos EUA, crescem desmesuradamente e avançam pelo deserto até Los Angeles. Era uma época em que o perigo atômico levava os diretores e roteiristas a fantasiar sobre esse tipo de ameaça. Havia aranhas gigantes, homens encolhiam. Gordon Douglas, considerado um ?artesão?, foi um diretor excepcional. E James Whitmore também era um ator fora de série. Durante 20 anos ele representou no teatro um monólogo sobre Will Rogers. E em Um Sonho de Liberdade, de 1994, roubou a cena de Tim Robbins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.