Formas tiradas intensamente da natureza

O pernambucano José Bezerra exibe suas esculturas feitas em madeira bruta

Camila Molina, O Estadao de S.Paulo

29 de abril de 2009 | 00h00

Foi um sonho que despertou em José Bezerra o ímpeto de artista. "Uma pessoa com um manto, uma cachoeira, me disse que eu era artista, que era para pegar a madeira que encontrasse na minha frente e começasse a esculpir", conta o pernambucano de 56 anos, feliz de agora poder mostrar, pela primeira vez, suas obras em São Paulo, na Galeria Estação. A partir do simples sonho, o agricultor, que sempre viveu no Vale do Catimbau, seguiu, por assim dizer, "sua missão" e vem há 11 anos realizando esculturas de madeira bruta em que figuras de aves, bichos e da mistura das formas de homem e de animal são criadas apenas com facão, o que lhes confere misto de rudeza e leveza. "As formas já estão na natureza e no olhar", diz, simplesmente, o artista, que exibe na galeria mais de 60 obras.Suas esculturas são tão especiais a ponto de terem chamado a atenção do crítico Rodrigo Naves, autor de texto que acompanha a mostra de Bezerra em São Paulo e no qual destaca a obra do escultor para além do nicho da arte popular, dada a "intensidade incomum" das obras do pernambucano. ServiçoJosé Bezerra. Galeria Estação. R. Ferreira de Araújo, 625, tel. 3813-7253. 11 h/19 h (sáb., 11 h/15 h; fecha dom.). Até 30/5

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.