Filme aborda exploração sexual nos EUA

O ator Kevin Kline lançou ontem na ONU seu mais novo filme, Trade. O longa, dirigido por Marco Kreuzpaintner, baseia-se numa reportagem publicada há três anos na revista dominical do The New York Times. Trata da descoberta de uma rede de escravas sexuais mexicanas num subúrbio do Estado de Nova Jersey. Kline disse que a fita tenta humanizar um fenômeno que, segundo cálculos da ONU, afeta quase 1 milhão de pessoas e movimenta US$ 32 bilhões por ano. "Quisemos fazê-lo da forma mais real possível, mas sem sensacionalismo. O filme vira o estômago, alarma e inquieta o espectador."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.