Filme a filme

VERÃO VIOLENTO: "1943 foi o ano da derrota da Itália na guerra. Para mim significou o conhecimento da morte, do risco, da capacidade de tomar decisões, de colocar à prova a própria coragem, de sentir medo, de conhecer o país..." A MOÇA COM A VALISE: "Nasceu quando fiz um filme publicitário e a garota que trabalhava como modelo me contou muitas coisas de sua vida. Era o personagem de Aida que surgia. Depois, bastou criar um rapazinho para compor o par. Eram dois personagens estranhamente absortos, pertencentes a mundos diferentes, dois solitários que exprimem no seu encontro a vontade de ajudar-se mutuamente. Como em todos meus filmes trata de um desespero de fundo que por desgraça trago comigo." MULHERES NO FRONT: "O filme toca em problemas de moralidade histórica: tentei dar a versão da participação italiana na guerra que a historiografia jamais quis assinalar, sem falar na maneira como essa história é apresentada no cinema italiano. Mesmo nos filmes de amigos, como Luigi Comencini, é apresentada a versão ? talvez verdadeira ? de que não quisemos a guerra, mas depois acrescentam que participamos dela como um grupo de samaritanos, o que é falso. Na guerra, os italianos se comportaram como os outros, às vezes com menos coragem, outras com heroísmo desesperado." A PRIMEIRA NOITE DE TRANQUILIDADE: "No filme há muitas coisas pessoais, como essa estranha insistência da necessidade do cristianismo. E depois, há em mim um fundo de niilismo, que eu jogo abundamentemente sobre os personagens, como um desejo de destruição e autodestruição." O DESERTO DOS TÁRTAROS: "Nesse filme, meus temas principais podem ser desenvolvidos com naturalidade e de modo mais lúcido, não sentimental. Sem chegar à grandeza da temática de Buzzatti, todos os meus filmes se assemelham, do primeiro ao último. É inútil amar-se porque amar-se implica infelicidade, é inútil acreditar nos outros, porque virá a desilusão. Em definitivo, se trata de uma escritura não sobre a tragédia existencial, mas sobre uma tristeza essencial."

, O Estadao de S.Paulo

06 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.