Filha de Picasso doa duas obras ao museu dedicado a seu pai

Maya Widmaier Picasso cedeu um desenho e um caderno, por ocasião da reabertura do Museu Pablo Picasso, em Paris

EFE

25 de julho de 2014 | 10h19

A filha mais velha do pintor Pablo Picasso, Maya Widmaier Picasso, fez uma doação ao Museu Picasso de Paris de um desenho e um caderno do seu pai por ocasião da reabertura prevista para o mês de outubro, informou hoje o seu advogado.

O desenho, no qual é representado um rosto feminino, data de 1908, o período cubista. No reverso aparece a parte inferior do rosto do poeta Guillaume Apollinaire, e que na realidade é a metade de uma obra já exposta no museu.

O caderno, por sua vez, contém um total de 38 desenhos de desnudos feitos a lápis em abril de 1960.

Maya Widmaier Picasso explicou em comunicado que com esta doação quer "apoiar a equipa que contribuiu juntamente com a ministra da Cultura e Comunicação, Aurélie Filippetti, para a reabertura do museu".

As obras de reforma do Museu Picasso, que estava encerrado há 5 anos, estiveram continuamente envolvidas em polémica. Principalmente pela demora nos trabalhos e na data de reabertura, assim como pelos constantes problemas com a direção.

Num primeiro momento, tinha sido previsto que os visitantes pudessem entrar de novo no pequeno palacete do bairro do Marais, que abriga uma coleção de 5.000 obras de Picasso, a partir do passado mês de junho, mas finalmente em maio teve que se adiar até ao próximo outono.

Filipetti comunicou então a destituição da anterior responsável do estabelecimento, Anne Baldassari, para tentar encerrar assim a polêmica.

Desde junho passado, Laurent Le Bon, que tinha sido diretor do centro Pompidou-Metz desde 2010, transformou-se no novo presidente do Museu Picasso de Paris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.