Festa na avenida

Enquanto as escolas dominam o Sambódromo, blocos de rua retomam o centro da cidade e mantêm a tradição do carnaval de rua

, O Estadao de S.Paulo

12 de fevereiro de 2009 | 00h00

Durante décadas, o centro da cidade também foi o centro do carnaval paulistano - disputado tanto por festas de rua como pelas escolas de samba. Mas, após a mudança dos desfiles para o Sambódromo do Anhembi, em 1991, a região amargou uma longa quarta-feira de cinzas, esquecida pelo grande público.Aos poucos, porém, os foliões estão redescobrindo os blocos de rua que sempre passearam por ali - alguns com mais de trinta anos de tradição. A ?novidade? tem atraído, em especial, jovens e universitários, como no caso do Unidos da Maria Antonia, o favorito dos alunos do Mackenzie, que circula na vizinhança da Rua Maria Antônia, ao som de axé music. O UMES Caras Pintadas parte da Rua Rui Barbosa e segue pelo bairro da Bela Vista. Neste ano, o primeiro deve sair na 6ª (13), às 19h; e o segundo, na 3ª (17), às 17h. Na página ao lado, você confere mais três sugestões para quem quer ouvir o coração da cidade bater no ritmo da bateria - cadenciado como sempre foi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.