Faturamento cresce 35%

Emissora planeja mais investimentos no jornalismo em 2009

Thaís Pinheiro, O Estadao de S.Paulo

26 de dezembro de 2008 | 00h00

Desde a contratação dos jornalistas Carlos Nascimento, em 2006, e Ana Paula Padrão, em 2007, o SBT vem investindo, mais uma vez, em seus noticiários. Segundo o diretor de Jornalismo da emissora, Paulo Nicolau, que conversou com o Estado por telefone, o departamento passa por reformulações há mais de três anos e fechou 2008 com faturamento 35% superior a 2007. Apesar do fracasso da retomada do vespertino Aqui Agora, a rede investiu em dois telejornais locais em Brasília no fim deste ano, contabilizando 50 contratações.A que se deve esse crescimento no faturamento do telejornalismo?É um reconhecimento do mercado ao jornalismo que o SBT está apresentando. Este foi o ano que consolidou a volta do jornalismo do SBT, que começou há três anos, com a vinda de Carlos Nascimento e, depois, Ana Paula Padrão. Levamos uma boa equipe à Olimpíada de Pequim, tivemos a cobertura especial das eleições brasileiras e norte-americanas. Foi um investimento em que pudemos qualificar melhor a equipe, trazer pessoas novas. Temos um time bom, desde o estagiário até o apresentador. Mas o SBT é conhecido pela instabilidade da grade. O Aqui Agora, por exemplo, ficou pouco mais de um mês no ar. Isso não pode afetar a credibilidade?O Aqui Agora foi um produto que não deu certo. Mas acho que não existe mais instabilidade. Nosso Jornal do SBT está às 21h30 há dois anos. Manter a estabilidade dá credibilidade sim, e nós queremos ser referência para a família brasileira. O jornalismo do SBT mudou muito.O que está previsto para 2009?No ano que vem, pretendemos remodelar os telejornais de Porto Alegre, Rio e Belém, que já têm seus noticiários locais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.