Família e autoridade num belo filme vindo da Argentina

Muitos críticos e espectadores destacam no cinema argentino uma humanidade e simplicidade que faltariam na produção brasileira corrente. São qualidades associadas ao trabalho do diretor Daniel Burman, de filmes como Esperando o Messias, Abraço Partido e As Leis de Família, que passa hoje às 22 horas no Telecine Cult.Como anterior Abraço Partido, o filme interpretado por Daniel Hendler, ator fetiche do diretor, trata da relação complicada entre pai e filho, ambos advogados. O meio focalizado é institucional - uma Buenos Aires dos tribunais -, mas também burguês e até religioso, pois a origem judaica de Burman sempre termina por transparecer em sua atividade artística.Existe esse pai que tenta levar o filho para trabalhar com ele e o jovem que quer trilhar um caminho próprio. O que parece só uma história familiar vai adquirindo outra dimensão e vira um discurso sobre a autoridade. Da figura mítica de Juan Domingo Perón aos militares que instalaram uma ditadura feroz no país, a Argentina tem se ressentido muito desse mito da autoridade. Daniel Burman conta sua história de maneira discreta, sem reiterar sua crítica, mas está tudo lá, para quem souber - ou quiser - ver.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.