Faixa a faixa

AMÉRICA DO NORTE: ''''Violino, cuíca, bateria, baixo, eu tocando violão. Gravamos ao vivo. É um convite para os americanos da América do Norte, para virem curtir as coisas aqui. É para dizer que a gente gosta das coisas dele, do hot-dog, mas queremos que eles gostem das coisas daqui também.''''TRABALHADOR: ''''É sobre o cara que é balconista, mas também é torneiro mecânico. A gente acaba não se especializando numa coisa só, porque tem de correr atrás. E às vezes não tem dinheiro para ir para o trabalho, uma humilhação enorme.''''BURGUESINHA: ''''É uma crônica sobre uma menina rica. Nos shows em Porto Alegre, as meninas levantavam a carteira Louis Vuitton e gritavam ''''sou eu!''''.''''CUIDAR DE MIM: ''''Só no violão. É do Gabriel Moura e do Rogê, a Paula Lima gravou no disco dela. Não ia entrar, mas eu não gostei do resultado de uma outra música.''''MINA DO CONDOMÍNIO: ''''É de um cara novo, Pierre Aderne. Gosto muito, porque é uma experiência sem violão. É cuíca, baixo, bateria, ficou meio analógico.''''MARIANA: ''''Essa eu fiz para a minha esposa. Ela me cobrava bastante ''''ah, tem Carolina, tem Pretinha e eu?'''' Um dia acordei de madrugada, desci e fiz a música. Gostei de ter achado uma bossa para ela, baixo e bateria.''''SÓ NO CHAT: ''''Fala sobre uma coisa muito comum hoje, conversa pelo computador. Milhões de relações são feitas dessa maneira, o que cria um monte de confusões de você estar ''''chatando'''' e, de repente, diz que ama, que vai casar e nem conhece a pessoa.''''SAMBA ROCK: ''''É a história de um cara que batalha, mas o dinheiro não dá. Pôs o filho no judô, mas o japonês disse que sem dinheiro não tem filosofia zen.''''SEU OLHAR: ''''Outra balada. E o principal é a participação do (pianista) Philippe Baden Powell.''''ETERNA BUSCA: ''''É a música do patrocinador (a cachaça Sagatiba). Fiz primeiro como um jingle, e vi que não era problema incluir no CD. Foi proibida no rádio, mas eu pus no disco.''''VOZ DA MASSA: ''''É uma mensagem para o Brasil, que deve ser uma das estrelas mundiais em 20 anos, mas não pode esquecer de ouvir seu povo.''''

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.