Fada madrinha

A figurinista Marília Carneiro conta como fará do galã Malvino Salvador um antigalã na nova novela da Globo, Caras&Bocas,[br]e revela seus segredos de 35 anos de sucesso na emissora

Patrícia Villalba, RIO, O Estadao de S.Paulo

08 de abril de 2009 | 00h00

"Carioquérrima", como se define, a figurinista Marília Carneiro embrenhou-se pela Lapa paulistana para criar a pele de um galã que é antigalã, a ser vestida pelo ator Malvino Salvador em Caras&Bocas, nova novela das 7. "Ele é o homem dos sonhos, porque é sensível como um artista plástico e machão como um pasteleiro da Lapa", brinca ela, que pontuou a simplicidade das camisetas brancas e cinzas do personagem Gabriel com aventais charmosos, cheios de coloridos.É detalhe típico do trabalho de Marília, figurinista famosa por lançar moda em novela que vira febre nacional. Com 35 anos de TV Globo, foi ela que calçou as meias de lurex com sandálias coloridas em Sônia Braga, em Dancin? Days (1978). Hábil, soube também transformar alguns desastres em sucesso, como em Brilhante (1981). Até Tom Jobim reclamou publicamente do cabelo de Vera Fischer, que Marília mandou cortar curtinho. Para compensar, a figurinista pôs um lenço no pescoço da atriz, que foi copiado à exaustão e pode ser visto ainda em certos pescoços apegados aos anos 80.Antenas a mil, olhar que começou a ser treinado na Sorbonne e muito bom gosto fazem a fama da figurinista, personalidade já histórica na trajetória da TV. Mas há outros ingredientes, entre eles o bom senso, respeito e uma boa dose de paciência, especialmente com as mulheres que - ela confirma a lenda - não se rendem facilmente aos conselhos das figurinistas. "Você pensa que para ser figurinista é só ter acesso às boas lojas? Nada disso."No meio da prova de roupas para figurantes, onde Marília recebeu o Estado, uma das assistentes traz o recado de Elizabeth Savala, a Socorro, que vai passar boa parte da novela em vestidos tipo saco de farinha: "Dona Elizabeth quer mais opções de vestido. Achou o que você mandou muito simples", diz ela, enquanto prepara um vestido de brilhante. "Peraí...", interrompe Marília. "Nada de brilho para a Elizabeth. Lembre a ela que a personagem dela é pobre!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.