AP Photo, File
AP Photo, File

Exumação revela que bigode de Salvador Dalí permaneceu preservado

Um novo teste de paternidade abre a possibilidade para uma mulher que diz que é filha do artista surrealista assumir parte do seu espólio

O Estado de S. Paulo, com agências

21 de julho de 2017 | 11h25

FIGUERAS, Espanha — Técnicos forenses da Espanha removeram cabelo, unhas e dois ossos do corpo de Salvador Dalí para encontrar amostras genéticas para um teste de paternidade — um movimento que abre a possibilidade para uma mulher que diz que é filha do artista surrealista assumir parte do seu espólio.

Fontes oficiais disseram nessa sexta-feira, 21, que os restos mortais do artista estavam tão bem conservados que até o seu famoso bigode sobreviveu à passagem do tempo, e permaneceu na sua "famosa posição de 10h10".

Maria Pilar Abel, que nasceu em 1956 na cidade de Figueras, no norte da Espanha – cidade natal de Dalí e local no qual está enterrado – reivindica que sua mãe teve um caso com o pintor e tem tentado provar que é filha dele há anos.

Quando Dalí morreu em 1989, aos 84 anos, o corpo foi embalsamado por Narcis Bardalet, que disse à Reuters que tentativas de extrair DNA eram possíveis, embora “haja também dificuldades porque (o corpo) foi embalsamado e o formaldeído pode ter danificado os núcleos das células”.

“Ter as amostras, isto é, molares, dentes, ossos longos, para extrair o DNA será fácil, porque o corpo estará em uma condição relativamente boa”, disse Bardalet.

Os restos de Dalí estão enterrados em uma cripta abaixo do palco do Teatro-Museu em Figueras, que é lar de alguns de seus trabalhos e quadros que colecionava.

Pode demorar semanas até que os resultados do DNA sejam conhecidos.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaSalvador DalíDNA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.