Jean-Christophe Verhaegen/AFP
Jean-Christophe Verhaegen/AFP

Exposição na França celebra os vitrais de Marc Chagall

Mostra 'Marc Chagall, passer de lumière' também reúne cerca de 250 obras, desenhos, pinturas, esculturas, gravuras e colagens do artista

Redação, AFP

22 de maio de 2021 | 13h27

Uma exposição no Centro Pompidou-Metz, no leste da França, celebrará até 30 de agosto Marc Chagall, "o pintor que amava os vitrais". Com o nome de Marc Chagall, passer de lumière ("Marc Chagall, passando a luz", em tradução livre), a mostra fala desse "mestre das cores que renovou a arte sacra" em meados do século XX, segundo Elia Biezunski, sua curadora, e comemora o 800º aniversário da catedral da cidade de Metz, que o artista iluminou com seus vitrais.

"Chagall dialogava com os mestres vidreiros que interpretavam seus modelos como os músicos interpretam as partituras. Depois ele vinha atrás e colocava sua marca", explica Biezunski.

A exposição reúne cerca de 250 obras, desenhos, pinturas, esculturas, gravuras, vitrais e colagens (maquetes), entre outros, que mostram que Chagall (1887-1985), nascido em Vitebsk (Belarus), que chegou em Paris em 1911, passou por todas as correntes (fauvismo, cubismo, suprematismo...) sem aderir a nenhuma. 

"Às vezes ele era considerado um marginal", observa a curadora, porque se "alimentava tanto das cores do fauvismo como das cores das gravuras populares russas de sua infância, que justapõem cores muito contrastadas", as chamadas lubki.

Confira algumas fotos com obras expostas na exposição de Marc Chagall:

 

Tudo o que sabemos sobre:
Marc Chagallexposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.