AFP
AFP

Exposição em Florença lembra os 500 anos da morte de Leonardo Da Vinci

Cidade italiana abriu nesta segunda-feira exposição do Código Leicester

ANSA

31 Outubro 2018 | 15h42

FLORENÇA - A Galeria dos Ofícios, principal museu renascentista do mundo e situada em Florença, na Itália, apresentará ao público até o dia 20 de janeiro o famoso Código Leicester, do gênio Leonardo Da Vinci.

O evento, que começou nesta segunda-feira (29), foi batizado de "O Código Leicester de Leonardo da Vinci: a água, microscópio da natureza", e lembra os 500 anos da morte do artista.

A compilação de textos e desenhos feitos entre os anos 1508 e 1510 é um dos principais itens da mostra. O atual dono do famoso manuscrito, o norte-americano Bill Gates, emprestou a peça, que volta a ser exposta na Itália pela primeira vez em mais de 20 anos.

A última vez que o Código foi mostrado no país foi em 1995, durante um evento no Palazzo Querini Dubois, em Veneza. Já em Florença, a última aparição ocorreu em 1982.

"O Código Leicester representa todo o pensamento de Leonardo. Quando é pintor é cientista, e quando é cientista é pintor também. Não se trata de culturas diferentes. Trata-se de um modelo para os nossos dias em plena era digital", explicou o diretor das Gallerie, Eike Schmidt.

Para o público ver de perto o famoso código, um moderno sistema multimídia foi instalado na sala Magliabechiana, permitindo que os visitantes naveguem pelas páginas do manuscrito com a mesma característica escrita de espelho usada por Da Vinci.

O prefeito de Florença, Dario Nardella, afirmou que o evento é "um hino ao Renascimento".

O "Codex Leicester" pertence a Gates, fundador da Microsoft, que o adquiriu por US$ 30,8 milhões em 1994. Antes a obra estava nas mãos de Armand Hammer. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.