Exercício de poesia que liberta formas de expressão

A estréia de Ana Paula Pedro, de 33 anos, Primeira Chuva no Deserto é um exercício da poesia em que a expressão, quando elaborada e manifestada, já não pertence à própria obra. Poetizar não é uma atividade de conformismo em Ana Paula Pedro, mas de confronto e conflito. A vontade de ir além do que lhe é dado nasce na angústia cotidiana, que por vezes dá uma trégua passageira - "Tem dias em que acredito/ no que vejo e sinto/ Em outros, reflito/ repito as aflições." Sua poesia rompe com a temporalidade quando evoca o tempo - "enquanto é por enquanto/ já foi tarde/ já foi tanto". Sem buscar arestas com o que é oposto, ela é capaz de se debruçar sobre o que há de insondável na essência feminina.

, O Estadao de S.Paulo

27 de dezembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.