Evolução Sonora em Quatro Álbuns

1998: A banda lança pela gravadora Roadrunner o primeiro álbum, Sonic Mambo, quando já completava dez anos de carreira. É o CD mais pesado de sua discografia, com muito rock e pitadas de ska e hip-hop. 2003: Com uma sonoridade bem diferente do primeiro, o segundo álbum, Original, Olinda Style, independente e distante do rock, traz uma boa mistura de dub, samba, frevo, reggae e outros gêneros, pegando mais leve. 2005: A evolução da banda fica evidente em Metropolitano. Entre a tradição e a modernidade eletrônica, e com uma gama variada de sons, como o anterior, o quinteto firma seu estilo, investe mais no frevo, revitaliza Lealdade (Jorge de Castro/Wilson Batista) e grava Quando a Maré Encher, sua canção mais conhecida pelas versões anteriores de Cássia Eller e Nação Zumbi. 2009: Carnaval no Inferno é seu álbum mais elaborado. Tem samba, frevo, dub e outras levadas, com atitude "punk de meia-idade", letras de denúncia social e ambiental em equilíbrio com temas mais amenos e faixas instrumentais de approach jazzístico, com metais em brasa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.