''Este é o meu projeto mais pessoal'', diz o diretor

Heitor Dhalia foi acordado ontem por um telefonema de Vincent Cassel, cumprimentando-o porque ?nosso filme estará em Cannes?. O ator francês integra o elenco de À Deriva, o novo longa do diretor, selecionado para a mostra Un Certain Regard.Depois de Nina e O Cheiro do Ralo, o que esperar de À Deriva?Mudança. Escrevi o filme depois do Cheiro, numa fase em que estava sem projeto. Vivi até os 20 anos na praia e o filme é ?quase? autobiográfico. Exceto pelo fato de contar a história de uma garota, tudo ali se baseia em experiências que vivi. A vida na natureza, a separação dos pais, a iniciação.Seus outros filmes tinham uma pulsão visual que era muito forte. E esse?Nina e O Cheiro do Ralo eram filmes de estúdio, esse é um roteiro mais delicado, se passa em cenários naturais. É meu filme visualmente mais bonito. Quem for ver esperando O Cheiro 2 vai se surpreender.Por que o filme teve de ser uma co-produção?Isso vai servir para trabalhar o filme fora do Brasil. E até poderá abrir as portas para outros projetos que tenho. O curioso é que À Deriva, meu filme mais internacional até agora, é também o mais pessoal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.