Imagem Ignácio de Loyola Brandão
Colunista
Ignácio de Loyola Brandão
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Estão avisando: relaxa e morre!

Desci a Cardeal Arcoverde, encontrei Jairo olhando a feira de móveis seminovos da Benedito Calixto. A palavra é curiosa, alguns seminovos tinham, no mínimo, 80 anos, eram iguais aos de minha avó.- Comprando móveis, Jairo?- Não, apenas olhando. Sempre olho, quero ver se um dia encontro alguns dos que vendi quando desfiz a casa.- Desfez a casa?- É uma longa história, dia desses você me paga um café, conto.Todos sabem que Jairo mora no cômodo de um prédio abandonado há anos, por causa do inventário de uma família que não se resolve há décadas. Ali ele vai ficando.- Estou com muita vergonha, quero pedir desculpas ao mundo. Não sei como, não sei o que fazer. Tem gente que pode pensar que há pessoas que são o Brasil, mas não são, vão pensar que os brasileiros são todos como eles, mas não são, não sou, você também não!Falava quase sem respirar, aos borbotões. Era tão claro esse ''''eles''''. Lembrei-me na hora do Marco Aurélio Garcia e seu preposto Bruno não sei o quê.- Envergonhado com o que, Jairo?- Com a situação.Todos no bairro sabem que Jairo lê mais do que qualquer um. Jornaleiros como o Cid fazem que não vêem, deixam que ele chegue cedinho e dê uma ''''filada'''' no jornal. Ainda se diz ''''filar'''', para aqueles que chegam e ficam lendo todas as primeiras páginas, abrem um pouquinho o jornal? Jairo lê mais, está autorizado a abrir o jornal e dar sua ''''filada'''', desde que devolva bem-arrumado. Porque tem gente que não gosta de ler jornal lido.- Temos várias situações, vivemos no país das situações que nos envergonham. É o Renan?- Que Renan? Os senadores estão de férias, o Renan agradeceu a todos os santos o acidente da TAM que o tirou das manchetes.- A morte do ACM?- Viu que ele quase ganhou cantinhos de página? Tão poderoso, tão onipotente e por pouco não escapou de merecer apenas os centímetros dos obituários normais.- É o diretor da Anac recebendo medalha da honra ao mérito, enquanto os corpos ainda estavam sendo retirados dos escombros?- Disse bem, todos de luto e a Anac fazendo festa. Por que não adiaram em respeito aos mortos, à tristeza?- Então foram os gestos do Marco Aurélio Garcia e o Bruno não sei o quê se congratulando pornograficamente?- Isso não me envergonhou, me entristeceu, me deprimiu, me arrasou. Assim como arrasou o Brasil. Assim somos tratados.- É a Bancop? Com a revolta do pessoal que pagou e não viu os apartamentos e o dinheiro sumiu? E ainda querem que eles paguem mais?Jairo é um homem curioso, ainda quero investigar a vida dele, como chegou a essa situação de quase indigência, mas que não o perturba. Tem sua cultura, vê-se que é um sujeito que leu, estudou, interessa-se por tudo, conversa direito.Tem manias, claro, mas quem não as têm?- Estava pensando na caixa-preta do avião da TAM.- O que tem a caixa-preta?- Os técnicos, ou seja lá quem foi, correram ao prédio, penetraram no que restou do avião, apanharam a caixa-preta, aquela que revela tudo, e voaram para os Estados Unidos. Devem ter voado de primeira classe com dinheiro da Anac, devem ter se hospedado em hotel de luxo.- Sim, sim, e daí.- Daí levaram a caixa-preta para os técnicos americanos e eles abriram. Meu Deus, meu Deus, tenho vontade de chorar. Será que as pessoas sérias julgam todos os brasileiros por essa gente deplorável?- Ah, sei! A caixa-preta não era a caixa-preta do avião!- Não era. Ao menos se fosse a caixa-preta da Infraero, da Bancop, do Renan Calheiros, da licitação dos futuros aeroportos, ainda seria vantagem. Mas não!Jairo tinha lágrimas nos olhos, é um verdadeiro indignado, por ele estaríamos todos nas ruas com as caras pintadas, com tarjas de luto nos braços. Marchando, como já se marchou neste Brasil a propósito de tantas coisas. Agora, é uma anestesia geral, uma imobilidade, a não reação, desligada a tevê, todos vão dormir, e pronto.- A caixa-preta, soube, li em um jornal, ouvi no rádio, não era a do avião, aquela que revela tudo. A caixa-preta... oh, meu Deus...- O que foi?- Aqueles técnicos não tiveram vergonha? Levaram a caixa errada. Nem sabiam distinguir o que era o equipamento? Não se sentiram humilhados? Não ficaram com cara de tacho?Nossa, há anos eu não ouvia essa expressão. Cara de tacho. Ninguém no poder fica com cara de tacho.- Os americanos abriram o pacote e o que tinha dentro? Um gravador, me parece. Mas há quem diga que era a frasqueira de uma das passageiras. Disseram que era uma frasqueira Vuitton com celular, batom, espelho, escova. Queria ver a cara deles na hora. Que humilhação para o País. Que cara fizeram?- Não teve cara nenhuma, Jairo. Aposto que fizeram uns gestos pornográficos, disseram uns palavrões, foram a um restaurante cinco-estrelas almoçar com nosso dinheiro e voltaram para pegar a caixa verdadeira. Acha que se importaram? Riram muito. Os americanos riam deles, eles riam também amarelo. E vai ficar por isso.- Sabe o que o povo está dizendo? Isso é que dói.- O povo diz tanta coisa.- Estão zoando. Refletindo numa frase o que esse governo pensa. Zoando, ou gozando como se dizia, definem a verdade ao exclamar: ''''Parem com isso brasileiros. Relaxem e morram!''''

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.