''Esse não é o meu mundo''

Globo TV Azteca: Gilberto Braga nega participação na versão de Louco Amor

Keila Jimenez, O Estadao de S.Paulo

25 de maio de 2009 | 00h00

Nova tentativa da Globo no mercado hispânico, Louco Amor (1983), de Gilberto Braga, inaugura a parceria da rede com TV Azteca na produção mexicana de novelas brasileiras. É o segundo título do autor a ganhar versão internacional. O primeiro, Vale Tudo, com a Telemundo, naufragou, e não foi por falta de aviso de Braga. A Globo assegura que o autor terá "participação efetiva na adaptação". Ao Estado, no entanto, Braga disse que sua participação será "nenhuma".Você participou da escolha de Louco Amor para a TV Azteca?Sugeri o título porque me parecia apropriado ao projeto.O que torna a história de Louco Amor mais universal que as outras?Eu não diria mais universal, e sim mais simples, Louco Amor fez grande sucesso comercial no Brasil e na América do Sul.Como será sua participação nessa adaptação?Nenhuma.Você será consultado sobre possíveis intervenções no texto ?Sim, mas vou deixá-los totalmente livres.Por que a versão hispânica de Vale Tudo não deu certo?É uma novela mais complexa. Sobre o Brasil. De certa forma, sofisticada. Sempre fui contra o projeto, a direção da Globo sabe. Achava a novela mal escolhida. Eles queriam que Raquel e Maria de Fátima fossem irmãs, a relação de mãe e filha para este mercado é "sagrada", quem raciocina assim não pode se interessar por Vale Tudo.Como foi sua participação na adaptação de Vale Tudo?Não acompanhei nada. Vi umas fotos. Não quero ter ligação com novelas em que as mulheres usam aqueles cabelos e aquelas maquiagens. Não é o meu mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.